Géneros de texto e tipos discursivos no ensino do Português como Língua estrangeira

Research output: Contribution to conferenceAbstract

4 Downloads (Pure)

Abstract

Inscrevendo-se no âmbito da Linguística do Texto e privilegiando o Interacionismo Sociodiscursivo (ISD) (Bronckart, [1997] 1999), esta proposta enquadra-se num projetode investigação em curso, no qual focamos as relações entre géneros de texto e a configuração linguística dos tipos discursivos em português europeu. Para o ISD, a produção de qualquer texto implica a seleção e adaptação de um modelo de género, cuja estruturação geral depende das atividades humanas a que está associado (Bronckart, 2008; Miranda, 2012). Além disso, defende-se que, independentemente do género a que
pertençam, os textos são constituídos por diferentes segmentos classificados em tipos discursivos (Bronckart, [1997] 1999). Os tipos discursivos são, simultaneamente, operações psicológicas e operações discursivas, correspondendo, no plano abstrato, a arquétipos psicológicos e, no nível concreto, a tipos linguísticos que concretizam essas operações do pensamento. Neste sentido, o objetivo é demonstrar que a configuração linguística dos tipos discursivos depende, em parte, do género em que se inscrevem os textos e o seu contributo para o ensino de Português como Língua Estrangeira. Para tal,
procedemos a uma análise textual descritiva de um corpus constituído por 20 textos escritos do português europeu, inscritos nos géneros artigo científico e bula de medicamento. Privilegiando uma análise descendente (Voloshinov, [1929] 1977), contemplamos a interação das atividades e géneros, seguindo-se os tipos discursivos.
Concluímos que: i) a configuração linguística dos tipos discursivos depende dos
conteúdos contemplados pelo género que, por sua vez, é regulado pelas atividades em que é mobilizado; ii) enquanto no artigo científico, o discurso interativo é marcado pela presença formas linguísticas que remetem para o emissor da interação, na bula de medicamento, as formas remetem para o recetor; iii) o ensino destas regularidades dos géneros possibilita a aprendizagem da língua em diferentes esferas de utilização e a
exercitação linguística de diferentes modos de raciocínio em português.
Original languagePortuguese
Number of pages1
Publication statusPublished - Sep 2018
EventI Jornadas de Portugués como Lengua Extranjera - La Plata, Buenos Aires, Argentina
Duration: 6 Sep 20188 Sep 2018

Conference

ConferenceI Jornadas de Portugués como Lengua Extranjera
CountryArgentina
CityBuenos Aires
Period6/09/188/09/18

Cite this

Rosa, R. (2018). Géneros de texto e tipos discursivos no ensino do Português como Língua estrangeira. Abstract from I Jornadas de Portugués como Lengua Extranjera, Buenos Aires, Argentina.
Rosa, Rute. / Géneros de texto e tipos discursivos no ensino do Português como Língua estrangeira. Abstract from I Jornadas de Portugués como Lengua Extranjera, Buenos Aires, Argentina.1 p.
@conference{c26e04ae18d14497a565d1a0e942dcda,
title = "G{\'e}neros de texto e tipos discursivos no ensino do Portugu{\^e}s como L{\'i}ngua estrangeira",
abstract = "Inscrevendo-se no {\^a}mbito da Lingu{\'i}stica do Texto e privilegiando o Interacionismo Sociodiscursivo (ISD) (Bronckart, [1997] 1999), esta proposta enquadra-se num projetode investiga{\cc}{\~a}o em curso, no qual focamos as rela{\cc}{\~o}es entre g{\'e}neros de texto e a configura{\cc}{\~a}o lingu{\'i}stica dos tipos discursivos em portugu{\^e}s europeu. Para o ISD, a produ{\cc}{\~a}o de qualquer texto implica a sele{\cc}{\~a}o e adapta{\cc}{\~a}o de um modelo de g{\'e}nero, cuja estrutura{\cc}{\~a}o geral depende das atividades humanas a que est{\'a} associado (Bronckart, 2008; Miranda, 2012). Al{\'e}m disso, defende-se que, independentemente do g{\'e}nero a queperten{\cc}am, os textos s{\~a}o constitu{\'i}dos por diferentes segmentos classificados em tipos discursivos (Bronckart, [1997] 1999). Os tipos discursivos s{\~a}o, simultaneamente, opera{\cc}{\~o}es psicol{\'o}gicas e opera{\cc}{\~o}es discursivas, correspondendo, no plano abstrato, a arqu{\'e}tipos psicol{\'o}gicos e, no n{\'i}vel concreto, a tipos lingu{\'i}sticos que concretizam essas opera{\cc}{\~o}es do pensamento. Neste sentido, o objetivo {\'e} demonstrar que a configura{\cc}{\~a}o lingu{\'i}stica dos tipos discursivos depende, em parte, do g{\'e}nero em que se inscrevem os textos e o seu contributo para o ensino de Portugu{\^e}s como L{\'i}ngua Estrangeira. Para tal,procedemos a uma an{\'a}lise textual descritiva de um corpus constitu{\'i}do por 20 textos escritos do portugu{\^e}s europeu, inscritos nos g{\'e}neros artigo cient{\'i}fico e bula de medicamento. Privilegiando uma an{\'a}lise descendente (Voloshinov, [1929] 1977), contemplamos a intera{\cc}{\~a}o das atividades e g{\'e}neros, seguindo-se os tipos discursivos.Conclu{\'i}mos que: i) a configura{\cc}{\~a}o lingu{\'i}stica dos tipos discursivos depende dosconte{\'u}dos contemplados pelo g{\'e}nero que, por sua vez, {\'e} regulado pelas atividades em que {\'e} mobilizado; ii) enquanto no artigo cient{\'i}fico, o discurso interativo {\'e} marcado pela presen{\cc}a formas lingu{\'i}sticas que remetem para o emissor da intera{\cc}{\~a}o, na bula de medicamento, as formas remetem para o recetor; iii) o ensino destas regularidades dos g{\'e}neros possibilita a aprendizagem da l{\'i}ngua em diferentes esferas de utiliza{\cc}{\~a}o e aexercita{\cc}{\~a}o lingu{\'i}stica de diferentes modos de racioc{\'i}nio em portugu{\^e}s.",
author = "Rute Rosa",
note = "info:eu-repo/grantAgreement/FCT/5876/147316/PT# UID/LIN/03213/2013 PD/BD/113974/2015; null ; Conference date: 06-09-2018 Through 08-09-2018",
year = "2018",
month = "9",
language = "Portuguese",

}

Rosa, R 2018, 'Géneros de texto e tipos discursivos no ensino do Português como Língua estrangeira' I Jornadas de Portugués como Lengua Extranjera, Buenos Aires, Argentina, 6/09/18 - 8/09/18, .

Géneros de texto e tipos discursivos no ensino do Português como Língua estrangeira. / Rosa, Rute.

2018. Abstract from I Jornadas de Portugués como Lengua Extranjera, Buenos Aires, Argentina.

Research output: Contribution to conferenceAbstract

TY - CONF

T1 - Géneros de texto e tipos discursivos no ensino do Português como Língua estrangeira

AU - Rosa, Rute

N1 - info:eu-repo/grantAgreement/FCT/5876/147316/PT# UID/LIN/03213/2013 PD/BD/113974/2015

PY - 2018/9

Y1 - 2018/9

N2 - Inscrevendo-se no âmbito da Linguística do Texto e privilegiando o Interacionismo Sociodiscursivo (ISD) (Bronckart, [1997] 1999), esta proposta enquadra-se num projetode investigação em curso, no qual focamos as relações entre géneros de texto e a configuração linguística dos tipos discursivos em português europeu. Para o ISD, a produção de qualquer texto implica a seleção e adaptação de um modelo de género, cuja estruturação geral depende das atividades humanas a que está associado (Bronckart, 2008; Miranda, 2012). Além disso, defende-se que, independentemente do género a quepertençam, os textos são constituídos por diferentes segmentos classificados em tipos discursivos (Bronckart, [1997] 1999). Os tipos discursivos são, simultaneamente, operações psicológicas e operações discursivas, correspondendo, no plano abstrato, a arquétipos psicológicos e, no nível concreto, a tipos linguísticos que concretizam essas operações do pensamento. Neste sentido, o objetivo é demonstrar que a configuração linguística dos tipos discursivos depende, em parte, do género em que se inscrevem os textos e o seu contributo para o ensino de Português como Língua Estrangeira. Para tal,procedemos a uma análise textual descritiva de um corpus constituído por 20 textos escritos do português europeu, inscritos nos géneros artigo científico e bula de medicamento. Privilegiando uma análise descendente (Voloshinov, [1929] 1977), contemplamos a interação das atividades e géneros, seguindo-se os tipos discursivos.Concluímos que: i) a configuração linguística dos tipos discursivos depende dosconteúdos contemplados pelo género que, por sua vez, é regulado pelas atividades em que é mobilizado; ii) enquanto no artigo científico, o discurso interativo é marcado pela presença formas linguísticas que remetem para o emissor da interação, na bula de medicamento, as formas remetem para o recetor; iii) o ensino destas regularidades dos géneros possibilita a aprendizagem da língua em diferentes esferas de utilização e aexercitação linguística de diferentes modos de raciocínio em português.

AB - Inscrevendo-se no âmbito da Linguística do Texto e privilegiando o Interacionismo Sociodiscursivo (ISD) (Bronckart, [1997] 1999), esta proposta enquadra-se num projetode investigação em curso, no qual focamos as relações entre géneros de texto e a configuração linguística dos tipos discursivos em português europeu. Para o ISD, a produção de qualquer texto implica a seleção e adaptação de um modelo de género, cuja estruturação geral depende das atividades humanas a que está associado (Bronckart, 2008; Miranda, 2012). Além disso, defende-se que, independentemente do género a quepertençam, os textos são constituídos por diferentes segmentos classificados em tipos discursivos (Bronckart, [1997] 1999). Os tipos discursivos são, simultaneamente, operações psicológicas e operações discursivas, correspondendo, no plano abstrato, a arquétipos psicológicos e, no nível concreto, a tipos linguísticos que concretizam essas operações do pensamento. Neste sentido, o objetivo é demonstrar que a configuração linguística dos tipos discursivos depende, em parte, do género em que se inscrevem os textos e o seu contributo para o ensino de Português como Língua Estrangeira. Para tal,procedemos a uma análise textual descritiva de um corpus constituído por 20 textos escritos do português europeu, inscritos nos géneros artigo científico e bula de medicamento. Privilegiando uma análise descendente (Voloshinov, [1929] 1977), contemplamos a interação das atividades e géneros, seguindo-se os tipos discursivos.Concluímos que: i) a configuração linguística dos tipos discursivos depende dosconteúdos contemplados pelo género que, por sua vez, é regulado pelas atividades em que é mobilizado; ii) enquanto no artigo científico, o discurso interativo é marcado pela presença formas linguísticas que remetem para o emissor da interação, na bula de medicamento, as formas remetem para o recetor; iii) o ensino destas regularidades dos géneros possibilita a aprendizagem da língua em diferentes esferas de utilização e aexercitação linguística de diferentes modos de raciocínio em português.

M3 - Abstract

ER -

Rosa R. Géneros de texto e tipos discursivos no ensino do Português como Língua estrangeira. 2018. Abstract from I Jornadas de Portugués como Lengua Extranjera, Buenos Aires, Argentina.