Fado: Um Património Vivo. Lisboa: CTT;

Research output: Book/ReportBook

Abstract

Na sua obrigação expressa na lei, os CTT têm o propósito prioritário de evocar, nas suas edições e nas emissões de selos anuais, personagens, criações, efemérides, histórias e patrimónios que fazem parte do que há de mais profundo e genuíno na tradição, na cultura e na alma portuguesa. Nas mais de 1000 emissões de selos e 160 livros que colocámos em circulação desde 1853, poucos temas terão sido tão bem enquadrados no espírito do texto legal do que este livro e do que estas emissões de selos, que dedicámos ao Fado. Por feliz coincidência, exatamente quando este «sentir popular feito música e verso» foi, com toda a justiça, considerado como integrando a Lista Representativa do Património Cultural Imaterial da Humanidade, da UNESCO. Seria o Fado de origens africanas, com passagem pelo Brasil, como muitos defendem, ou simplesmente adaptação de cantorias tradicionais rurais do Portugal profundo, como outros pretendem? A sua génese algo indefinida por falta de documentação coeva e cientificamente validada não nos deve, no entanto, afastar do essencial: a constatação de que há muito tempo atrás, muito antes do Estado Novo com que é frequentemente confundido, já era o Fado a «Canção de Lisboa», tendo-se depois também tornado, por força da divulgação radiofónica, a canção de Portugal. Mais tarde, seguindo a diáspora dos nossos emigrantes transformou-se em canção da saudade universal, desde os “bidonvilles” de Paris.
Original languageUnknown
Place of PublicationLisboa
PublisherCTT
ISBN (Print)978-972-8968-45-8
Publication statusPublished - 1 Jan 2012

Cite this