Evolução recente da vinha: o caso português e os reflexos da adesão à UE

Research output: Chapter in Book/Report/Conference proceedingChapter

Abstract

A videira, pela sua capacidade de adaptação, é uma planta que a geografia francesa designa como plante humanisée. Em Portugal, além de se afirmar ao longo da nossa história, o vinho foi um dos primeiros produtos de exportação e fonte de polémica na questão agrária portuguesa. No presente trabalho, dedicado à cultura da vinha nos últimos 30 anos e aos reflexos da integração de Portugal na Comunidade Económica Europeia, investigámos a evolução e as transformações verificadas, recorrendo-se a bibliografia e à consulta de dados estatísticos nos organismos que produzem ou disponibilizam informação específica do setor, nomeadamente IVV, OIV e Eurostat. Portugal teve de se adaptar à nova realidade da Política Agrícola Comum (PAC) que obrigou a mudanças na organização vitivinícola nacional ao nível das instituições e organismos que controlam e certificam e das estruturas produtivas. O setor registou modificações que colocaram os vinhos portugueses num patamar superior de qualidade e reconhecimento
Original languageUnknown
Title of host publication‘A JANGADA DE PEDRA’ – Geografias Ibero-Afro-Americanas. Atas do Colóquio Ibérico de Geografia
EditorsAntónio Vieira E Rui Pedro Julião
Place of PublicationGuimarães
PublisherAssociação Portuguesa de Geógrafos e Departamento de Geografia da Universidade do Minho
Pages885-890
ISBN (Print)978-972-99436-8-3 / 978-989-97394-6-8
Publication statusPublished - 1 Jan 2014

Cite this