«Eu vi-o na primeira linha»: a missão artística de Sousa Lopes contada pelos escritores combatentes

Research output: Chapter in Book/Report/Conference proceedingConference contribution

Abstract

Quem foi este pintor que se voluntariou para ser artista oficial do Corpo Expedicionário Português? Como viveu a experiência árdua da guerra da Flandres? São os livros de memórias de conhecidos escritores combatentes, todos publicistas da intervenção activa no conflito, que nos oferecem os primeiros e os mais interessantes retratos do artista na guerra, assim como uma primeira recepção da sua obra. Os livros de Américo Olavo, André Brun, Augusto Casimiro e Jaime Cortesão celebraram a camaradagem com o pintor nas primeiras linhas e a atitude do voluntário patriota, mas caucionaram sobretudo a veracidade e o significado moral da sua arte, que se realizara partilhando a existência do soldado comum das trincheiras.
Este estudo cruza as áreas da literatura e da arte para investigar uma questão central: que impacto cultural teve a missão de Sousa Lopes nos discursos sobre a intervenção na Flandres e na disputa que se seguiu pela memória deste conflito.
Original languagePortuguese
Title of host publicationActas do XXVI Colóquio de História Militar “Portugal 1916-1918. Da Guerra à Paz”
EditorsJorge Silva Rocha
Place of PublicationLisboa
PublisherComissão Portuguesa de História Militar
Pages345-359
Number of pages15
Edition1
ISBN (Print)978-989-8593-16-0
Publication statusPublished - 2018
EventColóquio de História Militar “Portugal 1916-1918. Da Guerra à Paz” - Lisboa, Portugal
Duration: 6 Nov 201710 Nov 2017

Conference

ConferenceColóquio de História Militar “Portugal 1916-1918. Da Guerra à Paz”
CountryPortugal
CityLisboa
Period6/11/1710/11/17

Keywords

  • First World War
  • War Artist
  • Literature
  • War memories

Cite this