Usos epistémicos de 'haver' e 'ter' em português antigo

Translated title of the contribution: Epistemic uses of 'haver' and 'ter' ('have') in Old Portuguese

Research output: Contribution to journalArticle

3 Downloads (Pure)

Abstract

O presente trabalho tem como objetivo geral contribuir para um conhecimento mais alargado e aprofundado da diacronia de haver e ter em português. Os dados estudados – recolhidos em testemunhos datados ou datáveis dos séculos XIII e XIV, relativos a fontes textuais de diferentes géneros – sugerem que, tal como acontece com outros funcionamentos de haver e ter na história do português, a competição entre os dois verbos é precoce quando os mesmos ocorrem em diferentes construções em que se geram valores caraterizáveis como epistémicos. No entanto, ao contrário do que acontece mais geralmente em português antigo com outros usos destes verbos, os dados parecem apontar para uma relativa predominância de ter sobre haver, sobretudo no que respeita à maior diversidade de estruturas em que ocorre e na aparentemente menor dependência contextual para gerar valores epistémicos. Dada a diversidade de funcionamento destes verbos em diacronia, conclui-se com uma discussão sobre a possibilidade de identificar a ligação entre o seu funcionamento como epistémicos e outros funcionamentos, mais ‘lexicais’ (transitivos de ‘posse’) ou mais ‘gramaticais’ (auxiliares de tempo composto).
Original languagePortuguese
Pages (from-to)353 - 376
Number of pages23
JournalRevue De Linguistique Romane
Volume82
Publication statusPublished - 2018

Fingerprint Dive into the research topics of 'Epistemic uses of 'haver' and 'ter' ('have') in Old Portuguese'. Together they form a unique fingerprint.

  • Cite this