Entre vozes, risos e o tilintar das taças

o espetáculo músico-teatral como experiência de lazer e de trabalho em cafés e casinos da Lisboa oitocentista

Research output: Contribution to conferencePaper

Abstract

Ao longo do século XIX, a construção das identidades das sociedades ocidentais deu-se em larga medida através da reconfiguração de códigos de natureza político-ideológica, socioeconómica e cultural, então tidos como originários do liberalismo francês. Nesta comunicação interessa-me problematizar as apropriações da experiência específica do café-concerto, cabaret e music hall no contexto oitocentista lisbonense, por um lado enquanto indicador de pretenso cosmopolitismo e modernidade das suas elites, por outro como redese de sociabilidade e, portanto, configuradoras do quotidiano de uma diversidade de grupos sociais. Os meus principais objectivos serão: localizar essas práticas em espaços da cidade; compreender o papel dos diversos agentes envolvidos, desde artistas aos vários empregados nesses locais, assim como dos diversos tipos de consumidores/públicos, entre espetadores, jogadores e convivas, perspetivar o repertório músico-teatral praticado como parte do complexo de atividades simultaneamente em curso nesses locais; analisar os processos discursivos de que estas práticas foram alvo em fontes coevas e/ou retrospetivas.
No caso português, uma abordagem holística ao espetáculo músico-teatral nestes contextos está virtualmente por fazer, apesar dos estudos pioneiros de Luísa Gomes (2012), Isabel Gonçalves (2013), Luísa Cymbron (2014) e Filipe Gaspar (2015) levarem-me a crer na disseminação dos géneros ditos ligeiros a outros contextos que não apenas os teatros - ideia aliás reforçada por fontes primárias como «Carteira do Artista» (1898) e «Dicionário do Teatro Português» (1908), ambas por Sousa Bastos.
O meu referencial conceptual e metodológico basear-se-á em autores como Christopher Small (1998), Vanessa Schwartz (1998), Tia DeNora (2000),Derek Scott (2008) e Antoine Hennion (2011).
Original languagePortuguese
Number of pages2
Publication statusPublished - 2016
EventVI Encontro Nacional de Investigação em Música - Universidade de Aveiro, Aveiro, Portugal
Duration: 3 Nov 20165 Nov 2016
http://www.spimusica.pt/enim-2016/

Conference

ConferenceVI Encontro Nacional de Investigação em Música
CountryPortugal
CityAveiro
Period3/11/165/11/16
Internet address

Cite this

@conference{c65eada4cf2a43bf87bacc291375de70,
title = "Entre vozes, risos e o tilintar das ta{\cc}as: o espet{\'a}culo m{\'u}sico-teatral como experi{\^e}ncia de lazer e de trabalho em caf{\'e}s e casinos da Lisboa oitocentista",
abstract = "Ao longo do s{\'e}culo XIX, a constru{\cc}{\~a}o das identidades das sociedades ocidentais deu-se em larga medida atrav{\'e}s da reconfigura{\cc}{\~a}o de c{\'o}digos de natureza pol{\'i}tico-ideol{\'o}gica, socioecon{\'o}mica e cultural, ent{\~a}o tidos como origin{\'a}rios do liberalismo franc{\^e}s. Nesta comunica{\cc}{\~a}o interessa-me problematizar as apropria{\cc}{\~o}es da experi{\^e}ncia espec{\'i}fica do caf{\'e}-concerto, cabaret e music hall no contexto oitocentista lisbonense, por um lado enquanto indicador de pretenso cosmopolitismo e modernidade das suas elites, por outro como redese de sociabilidade e, portanto, configuradoras do quotidiano de uma diversidade de grupos sociais. Os meus principais objectivos ser{\~a}o: localizar essas pr{\'a}ticas em espa{\cc}os da cidade; compreender o papel dos diversos agentes envolvidos, desde artistas aos v{\'a}rios empregados nesses locais, assim como dos diversos tipos de consumidores/p{\'u}blicos, entre espetadores, jogadores e convivas, perspetivar o repert{\'o}rio m{\'u}sico-teatral praticado como parte do complexo de atividades simultaneamente em curso nesses locais; analisar os processos discursivos de que estas pr{\'a}ticas foram alvo em fontes coevas e/ou retrospetivas.No caso portugu{\^e}s, uma abordagem hol{\'i}stica ao espet{\'a}culo m{\'u}sico-teatral nestes contextos est{\'a} virtualmente por fazer, apesar dos estudos pioneiros de Lu{\'i}sa Gomes (2012), Isabel Gon{\cc}alves (2013), Lu{\'i}sa Cymbron (2014) e Filipe Gaspar (2015) levarem-me a crer na dissemina{\cc}{\~a}o dos g{\'e}neros ditos ligeiros a outros contextos que n{\~a}o apenas os teatros - ideia ali{\'a}s refor{\cc}ada por fontes prim{\'a}rias como «Carteira do Artista» (1898) e «Dicion{\'a}rio do Teatro Portugu{\^e}s» (1908), ambas por Sousa Bastos. O meu referencial conceptual e metodol{\'o}gico basear-se-{\'a} em autores como Christopher Small (1998), Vanessa Schwartz (1998), Tia DeNora (2000),Derek Scott (2008) e Antoine Hennion (2011).",
author = "Filipe Gaspar",
note = "PD/BI/114018/2015; null ; Conference date: 03-11-2016 Through 05-11-2016",
year = "2016",
language = "Portuguese",
url = "http://www.spimusica.pt/enim-2016/",

}

Gaspar, F 2016, 'Entre vozes, risos e o tilintar das taças: o espetáculo músico-teatral como experiência de lazer e de trabalho em cafés e casinos da Lisboa oitocentista' Paper presented at VI Encontro Nacional de Investigação em Música, Aveiro, Portugal, 3/11/16 - 5/11/16, .

Entre vozes, risos e o tilintar das taças : o espetáculo músico-teatral como experiência de lazer e de trabalho em cafés e casinos da Lisboa oitocentista. / Gaspar, Filipe.

2016. Paper presented at VI Encontro Nacional de Investigação em Música, Aveiro, Portugal.

Research output: Contribution to conferencePaper

TY - CONF

T1 - Entre vozes, risos e o tilintar das taças

T2 - o espetáculo músico-teatral como experiência de lazer e de trabalho em cafés e casinos da Lisboa oitocentista

AU - Gaspar, Filipe

N1 - PD/BI/114018/2015

PY - 2016

Y1 - 2016

N2 - Ao longo do século XIX, a construção das identidades das sociedades ocidentais deu-se em larga medida através da reconfiguração de códigos de natureza político-ideológica, socioeconómica e cultural, então tidos como originários do liberalismo francês. Nesta comunicação interessa-me problematizar as apropriações da experiência específica do café-concerto, cabaret e music hall no contexto oitocentista lisbonense, por um lado enquanto indicador de pretenso cosmopolitismo e modernidade das suas elites, por outro como redese de sociabilidade e, portanto, configuradoras do quotidiano de uma diversidade de grupos sociais. Os meus principais objectivos serão: localizar essas práticas em espaços da cidade; compreender o papel dos diversos agentes envolvidos, desde artistas aos vários empregados nesses locais, assim como dos diversos tipos de consumidores/públicos, entre espetadores, jogadores e convivas, perspetivar o repertório músico-teatral praticado como parte do complexo de atividades simultaneamente em curso nesses locais; analisar os processos discursivos de que estas práticas foram alvo em fontes coevas e/ou retrospetivas.No caso português, uma abordagem holística ao espetáculo músico-teatral nestes contextos está virtualmente por fazer, apesar dos estudos pioneiros de Luísa Gomes (2012), Isabel Gonçalves (2013), Luísa Cymbron (2014) e Filipe Gaspar (2015) levarem-me a crer na disseminação dos géneros ditos ligeiros a outros contextos que não apenas os teatros - ideia aliás reforçada por fontes primárias como «Carteira do Artista» (1898) e «Dicionário do Teatro Português» (1908), ambas por Sousa Bastos. O meu referencial conceptual e metodológico basear-se-á em autores como Christopher Small (1998), Vanessa Schwartz (1998), Tia DeNora (2000),Derek Scott (2008) e Antoine Hennion (2011).

AB - Ao longo do século XIX, a construção das identidades das sociedades ocidentais deu-se em larga medida através da reconfiguração de códigos de natureza político-ideológica, socioeconómica e cultural, então tidos como originários do liberalismo francês. Nesta comunicação interessa-me problematizar as apropriações da experiência específica do café-concerto, cabaret e music hall no contexto oitocentista lisbonense, por um lado enquanto indicador de pretenso cosmopolitismo e modernidade das suas elites, por outro como redese de sociabilidade e, portanto, configuradoras do quotidiano de uma diversidade de grupos sociais. Os meus principais objectivos serão: localizar essas práticas em espaços da cidade; compreender o papel dos diversos agentes envolvidos, desde artistas aos vários empregados nesses locais, assim como dos diversos tipos de consumidores/públicos, entre espetadores, jogadores e convivas, perspetivar o repertório músico-teatral praticado como parte do complexo de atividades simultaneamente em curso nesses locais; analisar os processos discursivos de que estas práticas foram alvo em fontes coevas e/ou retrospetivas.No caso português, uma abordagem holística ao espetáculo músico-teatral nestes contextos está virtualmente por fazer, apesar dos estudos pioneiros de Luísa Gomes (2012), Isabel Gonçalves (2013), Luísa Cymbron (2014) e Filipe Gaspar (2015) levarem-me a crer na disseminação dos géneros ditos ligeiros a outros contextos que não apenas os teatros - ideia aliás reforçada por fontes primárias como «Carteira do Artista» (1898) e «Dicionário do Teatro Português» (1908), ambas por Sousa Bastos. O meu referencial conceptual e metodológico basear-se-á em autores como Christopher Small (1998), Vanessa Schwartz (1998), Tia DeNora (2000),Derek Scott (2008) e Antoine Hennion (2011).

M3 - Paper

ER -