Entre o modelo magistral e a responsabilidade social: Controvérsias em torno da avaliação dos professores e a concepção ‘justa’ do mandato docente

Research output: Contribution to journalArticlepeer-review

2 Downloads (Pure)

Abstract

O presente artigo debruça-se sobre as controvérsias em torno da reforma do Estatuto da Carreira Docente ocorrida em Portugal no ano de 2007, enquanto questão intimamente ligada à problemática dos juízos morais e políticos plurais em torno de o que é ser um bom profissional de ensino num contexto de incerteza. Esta reforma em particular tem como propósito central introduzir um modelo de avaliação mais diferenciador em termos de progressão na carreira, expondo dessa forma juízos distintos por parte destes profissionais de ensino relativamente ao modelo de profissionalidade e funções docentes. Uma vez que qualquer ato de avaliação pressupõe uma qualificação a partir de ordens de grandeza específicas, o propósito é então o de lançar um olhar sobre algumas das controvérsias que o modelo de avaliação suscita no seio da classe profissional através dos sentidos morais evidenciados pelos atores. Os dados recolhidos em cinco estabelecimentos de ensino públicos, com destaque particular para dados recolhidos de um questionário por cenários aplicado a professores do Ensino Básico e Secundário (Ensino Fundamental e Médio), fornecem o suporte empírico para uma análise a partir do quadro teórico de Boltanski e Thévenot.
Original languagePortuguese
Pages (from-to)236-265
Number of pages29
JournalTerceiro Milênio: Revista Crítica de Sociologia e Política
Volume6
Issue number1
Publication statusPublished - 2016

Keywords

  • Estatuto da Carreira Docente
  • Professores
  • Sociologia Pragmática

Cite this