Em busca do tempo perdido: o imaginário pictórico de Francis Smith (1881-1961) entre Lisboa e Paris

Research output: Contribution to journalArticle

Abstract

Francis Smith (1881-1961) é uma das figuras mais singulares do modernismo português. Lisboeta de nascimento, cedo emigrou para a capital francesa onde desenvolveria uma prestigiada carreira, participando com sucesso crítico e comercial nos mais importantes circuitos expositivos parisienses da época, tornando-se o pintor português mais presente no panorama artístico francês da primeira metade do século XX. O presente artigo pretende revisitar a sua obra, analisando como, a partir de uma formulação maturada do ingenuísmo fauve, a sua pintura convoca um imaginário intimista, que, adequando-se à geografia sentimental de um emigrado, prefigura a procura de um universo evocativo, de temporalidade suspensa, mediado entre a cristalização nostálgica de um Portugal popular e o quotidiano da vida moderna francesa.
Original languagePortuguese
Pages (from-to)1-12
Number of pages12
JournalReflexos. Revue Pluridisciplinaire du Monde Lusophone,
Volume4
Publication statusPublished - 2019

Keywords

  • Francis Smith (1881-1961)
  • Modernismo
  • Paris
  • Pintura Portuguesa
  • Lisboa

Cite this