"… e veera de sua terra que era muy longe pasante de oytenta leguas…”: Um processo de partilhas em Loulé na centúria de Quatrocentos

Research output: Contribution to journalArticlepeer-review

4 Downloads (Pure)

Abstract

O presente artigo tem por base um documento existente num arquivo de família depositado na Biblioteca Nacional de Portugal – o denominado arquivo Almada e Lencastre Bastos. Trata-se de uma citação para partilhas efetuadas entre Gil de Magalhães, senhor da Barca, em nome da sua segunda esposa, Isabel de Meneses, com os cunhados, irmãos desta – Nuno Barreto, Nuno Barreto, Afonso Teles e Fernão Pereira Barreto, todos filhos de Gonçalo Nunes Barreto, alcaide mor de Faro e senhor de Quarteira. Por essa razão, Gil de Magalhães deslocou-se do Norte de Portugal a Loulé no final do século XV, onde se encontrou com os cunhados para resolver a questão que se arrastava desde o falecimento do sogro, ocorrida cerca de vinte anos antes.
O artigo pretende realçar a importância dos arquivos de família para o conhecimento de atores ou factos menos conhecidos da história pré-moderna portuguesa, apresentando brevemente, num primeiro apartado, o acervo onde se encontra o documento, em seguida a família Magalhães, produtora do documento que se analisa e que se transcreve em anexo.
Original languagePortuguese
Pages (from-to)51-65
Number of pages15
JournalAl-Úliá
Issue number24
Publication statusPublished - 2021

Cite this