Do “bit” como nova materialidade a uma notação narrativa multimodal: O caso do jornalismo imersivo

Research output: Chapter in Book/Report/Conference proceedingChapter

1 Downloads (Pure)

Abstract

Ao longo de décadas, os media digitais têm sido permeáveis a um discurso que, genericamente, os representa como protagonistas de uma desmaterialização da comunicação e da cultura, assumida, em termos simples, como a substituição de artefactos físicos por uma representação electrónica (ex. o CD pelo. mp3, o livro impresso pelo e-book). A condição digital surge, assim, frequentemente envolta numa fantasmagoria em que a existência material é remetida para uma zona de exclusão–os dados, o software, a computação nas nuvens–entre a utopia e a distopia de uma mediação sem corpo.
Original languagePortuguese
Title of host publicationFacetas do repórter
Subtitle of host publicationnarrado e narrador
EditorsJosé Ricardo Carvalheiro
PublisherLabCom Books
Pages161-170
Number of pages9
ISBN (Electronic)978-989-654-407-2, 978-989-654-407-2
ISBN (Print)978-989-654-406-5
Publication statusPublished - 2017

Publication series

NameJornalismo

Cite this

Vicente, P. N. (2017). Do “bit” como nova materialidade a uma notação narrativa multimodal: O caso do jornalismo imersivo. In J. R. Carvalheiro (Ed.), Facetas do repórter: narrado e narrador (pp. 161-170). (Jornalismo). LabCom Books.
Vicente, Paulo Nuno. / Do “bit” como nova materialidade a uma notação narrativa multimodal : O caso do jornalismo imersivo. Facetas do repórter: narrado e narrador. editor / José Ricardo Carvalheiro. LabCom Books, 2017. pp. 161-170 (Jornalismo).
@inbook{69e7e467a12149b4b022f66e95b22670,
title = "Do “bit” como nova materialidade a uma nota{\cc}{\~a}o narrativa multimodal: O caso do jornalismo imersivo",
abstract = "Ao longo de d{\'e}cadas, os media digitais t{\^e}m sido perme{\'a}veis a um discurso que, genericamente, os representa como protagonistas de uma desmaterializa{\cc}{\~a}o da comunica{\cc}{\~a}o e da cultura, assumida, em termos simples, como a substitui{\cc}{\~a}o de artefactos f{\'i}sicos por uma representa{\cc}{\~a}o electr{\'o}nica (ex. o CD pelo. mp3, o livro impresso pelo e-book). A condi{\cc}{\~a}o digital surge, assim, frequentemente envolta numa fantasmagoria em que a exist{\^e}ncia material {\'e} remetida para uma zona de exclus{\~a}o–os dados, o software, a computa{\cc}{\~a}o nas nuvens–entre a utopia e a distopia de uma media{\cc}{\~a}o sem corpo.",
author = "Vicente, {Paulo Nuno}",
note = "UID/CCI/04667/2016",
year = "2017",
language = "Portuguese",
isbn = "978-989-654-406-5",
series = "Jornalismo",
publisher = "LabCom Books",
pages = "161--170",
editor = "Carvalheiro, {Jos{\'e} Ricardo}",
booktitle = "Facetas do rep{\'o}rter",

}

Vicente, PN 2017, Do “bit” como nova materialidade a uma notação narrativa multimodal: O caso do jornalismo imersivo. in JR Carvalheiro (ed.), Facetas do repórter: narrado e narrador. Jornalismo, LabCom Books, pp. 161-170.

Do “bit” como nova materialidade a uma notação narrativa multimodal : O caso do jornalismo imersivo. / Vicente, Paulo Nuno.

Facetas do repórter: narrado e narrador. ed. / José Ricardo Carvalheiro. LabCom Books, 2017. p. 161-170 (Jornalismo).

Research output: Chapter in Book/Report/Conference proceedingChapter

TY - CHAP

T1 - Do “bit” como nova materialidade a uma notação narrativa multimodal

T2 - O caso do jornalismo imersivo

AU - Vicente, Paulo Nuno

N1 - UID/CCI/04667/2016

PY - 2017

Y1 - 2017

N2 - Ao longo de décadas, os media digitais têm sido permeáveis a um discurso que, genericamente, os representa como protagonistas de uma desmaterialização da comunicação e da cultura, assumida, em termos simples, como a substituição de artefactos físicos por uma representação electrónica (ex. o CD pelo. mp3, o livro impresso pelo e-book). A condição digital surge, assim, frequentemente envolta numa fantasmagoria em que a existência material é remetida para uma zona de exclusão–os dados, o software, a computação nas nuvens–entre a utopia e a distopia de uma mediação sem corpo.

AB - Ao longo de décadas, os media digitais têm sido permeáveis a um discurso que, genericamente, os representa como protagonistas de uma desmaterialização da comunicação e da cultura, assumida, em termos simples, como a substituição de artefactos físicos por uma representação electrónica (ex. o CD pelo. mp3, o livro impresso pelo e-book). A condição digital surge, assim, frequentemente envolta numa fantasmagoria em que a existência material é remetida para uma zona de exclusão–os dados, o software, a computação nas nuvens–entre a utopia e a distopia de uma mediação sem corpo.

M3 - Chapter

SN - 978-989-654-406-5

T3 - Jornalismo

SP - 161

EP - 170

BT - Facetas do repórter

A2 - Carvalheiro, José Ricardo

PB - LabCom Books

ER -

Vicente PN. Do “bit” como nova materialidade a uma notação narrativa multimodal: O caso do jornalismo imersivo. In Carvalheiro JR, editor, Facetas do repórter: narrado e narrador. LabCom Books. 2017. p. 161-170. (Jornalismo).