Discursos da imprensa na estreia portuguesa de repertório orquestral canónico na década de 1930

Research output: Chapter in Book/Report/Conference proceedingConference contribution

8 Downloads (Pure)

Abstract

Na década de 1930, estrearam em Lisboa algumas obras de repertório sinfónico e coral canónico por iniciativa do Renascimento Musical e da Sociedade Coral de Duarte Lobo. De entre essas obras contavam-se Paixão Segundo S. Mateus de J.S. Bach, apresentada em 1931, Orfeu de Monteverdi em 1932, Requiem de Mozart em 1933 e Requiem de Berlioz em 1936. A recepção destas obras na imprensa portuguesa pode ser avaliada por dois pontos de vista: por um lado a partir do discurso pessoal do crítico, que descreve a obra e expõe as impressões sentidas no concerto, por outro lado a partir das notícias e artigos publicados pelos jornais antes dos concertos de estreia. Creio, assim, que a recepção da obra musical não se limita ao que é dito mais ou menos explicitamente na crítica. O lugar que as notícias e artigos ocupam no corpo do jornal, suas extensões e quem os assina são
também aspectos importantes a ter em consideração, dado que essas notícias e artigos, para além de darem visibilidade ao espectáculo, preparam e orientam o público (no qual se incluem também os críticos) para a audição das obras.
Original languagePortuguese
Title of host publicationActas do III Encontro Ibero-americano de Jovens Musicólogos
EditorsMarco Brescia, Rosana Brescia
Place of PublicationLisboa
PublisherTagus-Atlanticus Associação Cultural
Pages128-138
Number of pages10
ISBN (Electronic)978-989-99769
Publication statusPublished - 2016
EventIII Encontro Ibero-Americano de Jovens Musicólogos - Sevilha, Spain
Duration: 10 Mar 201611 Mar 2016

Conference

ConferenceIII Encontro Ibero-Americano de Jovens Musicólogos
CountrySpain
CitySevilha
Period10/03/1611/03/16

Keywords

  • crítica musical
  • recepção musical
  • cultura musical em Portugal
  • mprensa periódica portuguesa
  • século XX

Cite this

Calado, M. C. (2016). Discursos da imprensa na estreia portuguesa de repertório orquestral canónico na década de 1930. In M. Brescia, & R. Brescia (Eds.), Actas do III Encontro Ibero-americano de Jovens Musicólogos (pp. 128-138). Lisboa: Tagus-Atlanticus Associação Cultural.