Direitos, sobrevivência e política local da água: aprendizagem através do trabalho conjunto

Research output: Contribution to conferenceAbstract

Abstract

Em um processo de educação emancipatória proposto pelo projeto Fronteiras Urbanas este artigo mostra a importância da participação crítica de todos os atores sociais envolvidos em um processo de investigação científica. O projeto, acima mencionado, foi desenvolvido na Costa de Caparica/Portugal por três comunidades urbanas – académica, piscatória e bairro (assentamento ilegal), de maneira etnográfica, para apoiar algumas necessidades básicas de cada uma delas e repensar, em conjunto, novas possibilidades de capacitar seus atores sociais em suas diferentes formas de invisibilidade. No presente trabalho discutimos sobre as necessidades reais das comunidades piscatória e bairro: o acesso à água. O conhecimento local para sobreviver sem ter acesso de água, de maneiras diferentes, é o foco central. Artefactos e mentefactos são as ferramentas para manter uma postura Etnomatemática (D'Ambrosio, 1997; Mesquita, 2008), a qual permitiu observar, criticamente, as contradições entre direitos, sobrevivência e política local vividas pelos membros das duas comunidades.
Original languagePortuguese
Publication statusPublished - 2015
EventXII Congresso Luso-Afro-Brasileiro (CONLAB) /1º Congresso Internacional de Ciências Sociais e Humanas em Língua Portuguesa: GT65: Água para Todos: a Governança Participada como Experimentação Coletiva - Faculdade de Ciências Sociais e Humanas - UNL, Lisboa, Portugal
Duration: 1 Feb 20155 Oct 2015

Conference

ConferenceXII Congresso Luso-Afro-Brasileiro (CONLAB) /1º Congresso Internacional de Ciências Sociais e Humanas em Língua Portuguesa
CountryPortugal
CityLisboa
Period1/02/155/10/15

Cite this