Diogo de Macedo e o Museu de Arte Contemporânea: Pioneirismo e herança na redefinação do Museu de Arte

Research output: Book/ReportBook

Abstract

Diogo de Macedo (1889-1959) assume a direção do Museu Nacional de Arte Contemporânea (MNAC) em 1 de julho de 1944, sendo, nos 33 anos de existência do museu, o primeiro escultor a ocupar este cargo. A sua atividade desenvolve-se entre 1944 e 1959, articulando e contextualizando a intervenção no museu com as suas convicções culturais e estéticas, evidenciadas numa intensa atividade como crítico e historiador de arte.
Diogo de Macedo cria um programa museológico para o museu, com um projeto que relaciona investigação sobre a coleção e divulgação da arte com o desígnio da construção de uma identidade institucional e científica para o MNAC, no panorama da cultura portuguesa da primeira metade do século XX.
Original languagePortuguese
Place of PublicationLisboa
PublisherCaleidoscópio
Number of pages264
ISBN (Print)9789896586713
Publication statusPublished - 1 Nov 2020

Cite this