Democracia e comunicação nas redes sociais digitais

o net-ativismo para além da participação sem partidos

Research output: Contribution to journalArticle

Abstract

O espalhar-se no mundo de formas de protestos, conflitos e participação mediados pelos social networks revela novas características sobre a qualidade da ação, interpretada sociologicamente como um agir exclusivo dos ditos atores sociais, e hoje assume a forma de um ação reticular, integrando atores de naturezas distintas, colaboração de dados, dispositivos móveis, circuitos informativos etc. A visão humanista interpreta o ativismo em rede, ou net-ativismo, como a expansão digital da esfera pública, como espaço para uma democracia mais participativa diante da crise da política ocidental. Entre as pistas teóricas e os rastros empíricos dos movimentos net-ativistas europeus, convidamos a pensar o fenômeno para além dessa dimensão política e antropocêntrica.
Original languagePortuguese
Article number1
Pages (from-to)37-56
Number of pages20
JournalPaulus - Revista de Comunicação da FAPCOM
Volume1
Issue number2
DOIs
Publication statusPublished - 1 Jul 2017

Keywords

  • net-ativismo
  • democracia
  • redes sociais digitais
  • Comunicação. Política
  • Democracia participativa.
  • Pós-humanismo
  • Ecologia da ação em rede

Cite this

@article{b24df677785c49b4b0a3a9b3ff9c1880,
title = "Democracia e comunica{\cc}{\~a}o nas redes sociais digitais: o net-ativismo para al{\'e}m da participa{\cc}{\~a}o sem partidos",
abstract = "O espalhar-se no mundo de formas de protestos, conflitos e participa{\cc}{\~a}o mediados pelos social networks revela novas caracter{\'i}sticas sobre a qualidade da a{\cc}{\~a}o, interpretada sociologicamente como um agir exclusivo dos ditos atores sociais, e hoje assume a forma de um a{\cc}{\~a}o reticular, integrando atores de naturezas distintas, colabora{\cc}{\~a}o de dados, dispositivos m{\'o}veis, circuitos informativos etc. A vis{\~a}o humanista interpreta o ativismo em rede, ou net-ativismo, como a expans{\~a}o digital da esfera p{\'u}blica, como espa{\cc}o para uma democracia mais participativa diante da crise da pol{\'i}tica ocidental. Entre as pistas te{\'o}ricas e os rastros emp{\'i}ricos dos movimentos net-ativistas europeus, convidamos a pensar o fen{\^o}meno para al{\'e}m dessa dimens{\~a}o pol{\'i}tica e antropoc{\^e}ntrica.",
keywords = "net-ativismo, democracia, redes sociais digitais, Comunica{\cc}{\~a}o. Pol{\'i}tica, Democracia participativa., P{\'o}s-humanismo, Ecologia da a{\cc}{\~a}o em rede",
author = "Marina Magalh{\~a}es and Miranda, {Jos{\'e} Augusto Nunes Bragan{\cc}a de}",
note = "UID/CCI/04667/2016",
year = "2017",
month = "7",
day = "1",
doi = "10.31657/rcp.v1i2.56",
language = "Portuguese",
volume = "1",
pages = "37--56",
journal = "Paulus - Revista de Comunica{\cc}{\~a}o da FAPCOM",
issn = "2525-958X",
number = "2",

}

TY - JOUR

T1 - Democracia e comunicação nas redes sociais digitais

T2 - o net-ativismo para além da participação sem partidos

AU - Magalhães, Marina

AU - Miranda, José Augusto Nunes Bragança de

N1 - UID/CCI/04667/2016

PY - 2017/7/1

Y1 - 2017/7/1

N2 - O espalhar-se no mundo de formas de protestos, conflitos e participação mediados pelos social networks revela novas características sobre a qualidade da ação, interpretada sociologicamente como um agir exclusivo dos ditos atores sociais, e hoje assume a forma de um ação reticular, integrando atores de naturezas distintas, colaboração de dados, dispositivos móveis, circuitos informativos etc. A visão humanista interpreta o ativismo em rede, ou net-ativismo, como a expansão digital da esfera pública, como espaço para uma democracia mais participativa diante da crise da política ocidental. Entre as pistas teóricas e os rastros empíricos dos movimentos net-ativistas europeus, convidamos a pensar o fenômeno para além dessa dimensão política e antropocêntrica.

AB - O espalhar-se no mundo de formas de protestos, conflitos e participação mediados pelos social networks revela novas características sobre a qualidade da ação, interpretada sociologicamente como um agir exclusivo dos ditos atores sociais, e hoje assume a forma de um ação reticular, integrando atores de naturezas distintas, colaboração de dados, dispositivos móveis, circuitos informativos etc. A visão humanista interpreta o ativismo em rede, ou net-ativismo, como a expansão digital da esfera pública, como espaço para uma democracia mais participativa diante da crise da política ocidental. Entre as pistas teóricas e os rastros empíricos dos movimentos net-ativistas europeus, convidamos a pensar o fenômeno para além dessa dimensão política e antropocêntrica.

KW - net-ativismo

KW - democracia

KW - redes sociais digitais

KW - Comunicação. Política

KW - Democracia participativa.

KW - Pós-humanismo

KW - Ecologia da ação em rede

U2 - 10.31657/rcp.v1i2.56

DO - 10.31657/rcp.v1i2.56

M3 - Article

VL - 1

SP - 37

EP - 56

JO - Paulus - Revista de Comunicação da FAPCOM

JF - Paulus - Revista de Comunicação da FAPCOM

SN - 2525-958X

IS - 2

M1 - 1

ER -