Contra o Estado Novo: manifestações e organizações em Portugal no período marcelista (1968-1974)

Research output: Contribution to journalArticlepeer-review

608 Downloads (Pure)

Abstract

O presente artigo tem como proposta introduzir uma breve discussão sobre alguns nichos de organizações civis contra o Estado Novo, estabelecidos em Portugal durante seu período ditatorial (1926-1974). O país passará por 48 anos de regime autoritário, baseado no fascismo, no corporativismo e na privação de direitos. Nossa premissa é a de que o país não encontravase “adormecido” frente a situação nacional no período precedente à Revolução de 25 de Abril de 1974. Baseando-se em fontes documentais, sobretudo o periódico Avante! Clandestino e discussão bibliográfica, buscaremos discutir o papel do Partido Comunista Português, os levantamentos nos quartéis, as organizações estudantis e de forma muito breve a organização operária, dada a limitação espacial, enquanto frentes mobilizadoras e legitimadoras de uma luta contra o sistema retrógrado do Estado Novo em Portugal.
Original languagePortuguese
Pages (from-to)63-83
Number of pages21
Journalofícios de clio
Volume2
Issue number3
DOIs
Publication statusPublished - 2018

Keywords

  • Organizações Civis
  • Portugal
  • Revolução de Abril

Cite this