Contos de Lisboa, de Mónica de Miranda, e a Humanização dos (In)visibilizados na Cidade Pós-Colonial

Translated title of the contribution: Mónica de Miranda's Contos de Lisboa and the Humanization of the (In)visibilized in the Postcolonial City

Research output: Chapter in Book/Report/Conference proceedingConference contributionpeer-review

13 Downloads (Pure)

Abstract

Contos de Lisboa é uma exposição organizada por Mónica de Miranda, artista visual e investigadora luso-angolana, que esteve patente ao público no Arquivo Municipal de Lisboa. Inclui uma instalação de som e fotografia que retrata seis casas que foram alvo de demolição e conta com a colaboração das diferentes autores afrodescendentes, convidados a escrever pequenos contos que imaginam as vidas ligadas a determinados objetos recolhidos por Miranda nas imediações das casas demolidas. A partir desta exposição, o presente artigo reflete sobre a correlação entre diversidade étnica e (in)visibilidade enquanto legado da cidade colonial segregadora. Palavra, imagem e som constituem aspetos fundamentais no artivismo fundado na insurgência cívica e artística que evidencia o exercício de compaixão necessário a um processo humanizante que o planeamento urbanístico da cidade póscolonial precisa de empreender contribuir para uma sociedade integradora.
Translated title of the contributionMónica de Miranda's Contos de Lisboa and the Humanization of the (In)visibilized in the Postcolonial City
Original languagePortuguese
Title of host publicationPaz, Direitos e Novas Redes
Subtitle of host publicationIII Conferência Internacional Ativismos em África
EditorsLuísa Nascimento dos Reis, Luca Bussotti
Place of PublicationRecife
PublisherEditora Universitária/UFPE
Chapter8
Pages149-168
Number of pages20
ISBN (Electronic)978-65-999071-1
Publication statusPublished - 2022

Publication series

NameBrasil & África
PublisherEditora UFPE
Number6

Keywords

  • Mónica de Miranda
  • Artivismo
  • Pós-Colonial

Fingerprint

Dive into the research topics of 'Mónica de Miranda's Contos de Lisboa and the Humanization of the (In)visibilized in the Postcolonial City'. Together they form a unique fingerprint.

Cite this