Conclusão - Ecologia empírica e ecologia científica

Research output: Chapter in Book/Report/Conference proceedingChapter

Abstract

No fim do século XIX, os trabalhadores marítimos viam a área que as armações exploravam, e onde permaneceram até meados do século XX, como pertencentes à sua própria identidade, tendo-se formulado um desejo dos sesimbrenses: proteger com medidas excepcionais os mares cuja riqueza e diversidade biológica reconheciam há muitas gerações, preservando ao mesmo tempo os laços de solidariedade na sua própria comunidade.
Original languageUnknown
Title of host publicationMares de Sesimbra: História, memória e gestão de uma frente marítima
Place of PublicationLisboa
PublisherÂncora Editora
Pages169-174
ISBN (Print)9809727804016
Publication statusPublished - 1 Jan 2013

Cite this

Freitas, J. I. R. G., & Martins, L. M. M. S. (2013). Conclusão - Ecologia empírica e ecologia científica. In Mares de Sesimbra: História, memória e gestão de uma frente marítima (pp. 169-174). Lisboa: Âncora Editora.