Cem Dias de Solidão, Crónicas Pedagógicas na Babel Contemporânea

Research output: Book/ReportBook

Abstract

O que nos inspira, sobretudo, é a ideia e a prática da autonomia das subjectividades no seu complexo e agónico processo emancipatório. O que nos inspira é a ideia de uma modernidade pejada de continuidades e contradições. O que nos inspira é a ideia e a vivência encenadas na sala de aulas: um espaço crítico, agónico, criativo e transformador. A sala de aulas não representa apenas um espaço agónico onde se cruzam percepções e consciências diversas, actividades de nítida intervenção social e psicológica e a proximidade de faixas etárias diferentes: constitui, igualmente, uma realidade onde se privilegia – espera-se – a transformação do sujeito no sentido da descoberta e da concretização contínuas das suas potencialidades. Há igualmente, para além desta realidade agónica (que valorizamos por representar a comunidade actual e vindoura que é a Escola), o papel múltiplo do docente: observador, estratega, psicólogo, comunicador, intérprete e vector de crescimento intelectual e psicológico. Que faz o docente, então, no interior deste espaço agónico? Que transmite efectivamente o docente? Qual é o nosso papel como docentes? Que ensina o docente? Que ensina se não a exemplificação de uma relação com o saber (e com a vida) que o aluno não deve reproduzir ou memorizar (como memorizar a nossa relação por definição única com a vida e com o saber?), mas, antes, interiorizar como convite para o cultivar da sua própria relação vital e cognitiva? Ensinar tanto como aprender são actos profundamente autobiográficos, i.e., são indissociáveis de quem somos ou vamos sendo ou aspiramos a ser. A “dádiva” do docente na sala de aulas – um espaço agónico, por excelência – será, porventura, esta exemplificação que contagia os outros (os alunos) no caminho da concretização da sua própria curiosidade intelectual e metamorfose pessoal ao longo da vida. Um espaço agónico? Sim. Quer dizer: a vida vivida à medida de nós próprios no longo drama do existir. (Excerto do Prefácio)
Original languageUnknown
Place of PublicationLisbon
PublisherColibri
EditionFirst
ISBN (Print)978-989-689-413-9
Publication statusPublished - 1 Jan 2014

Cite this