Cave carmen: o uso da habanera na abertura Gabriela, Cravo e Canela, de Fernando Lopes-Graça

Research output: Contribution to conferencePaper

Abstract

Apresento, neste artigo, uma análise da abertura sinfônica Gabriela, cravo e canela (1963), do compositor português Fernando Lopes-Graça (1906-1994), inspirada no romance homônimo de Jorge Amado. Aponto brevemente alguns aspectos da relação entre a ambientação no romance e na música, tomando como ferramenta de análise a identificação de tópicas, a partir da proposta de Acácio Piedade (2011). José Paulo Paes ([1991] 2008) destaca a confluência de duas questões na narrativa amadiana: sujeição/libertação feminina e atraso/progresso urbano. Concentro-me na primeira problemática, a partir da análise do uso do padrão rítmico da habanera como elemento estruturador da partitura e, mais especificamente, do uso do motivo Prends garde à toi! entoado pelo coro na Habanera da ópera Carmen, de Georges Bizet. Utilizo categorias de relações intertextuais ou, mais precisamente, transtextuais, propostas por Gérard Genette em Palimpsestes (1982), baseando-me em sua adaptação à análise musical proposta por Paulo Ferreira de Castro (2015). Em diálogo com análises de Carmen em Feminine Endings ([1991] 2002), e Georges Bizet: Carmen ([1992] 2000), de Susan McClary e Musical Exoticism (2009), de Ralph Locke, destaco o paralelo entre as características de sensualidade e liberdade associadas às duas personagens. Acrescentando a ingenuidade e espontaneidade infantil de Gabriela, associo estas características ao que identifico como tópicas circenses e pastorais, estas últimas também destacadas na análise literária de José Paulo Paes e relacionadas por este autor aos conceitos de “bom selvagem” (Rousseau) e “criança-juiz” (Empson). Tomando como base as análises de Carmen por McClary e de Gabriela na nota de encarte escrita por João de Freitas Branco (1967), discuto a ideia de “morte necessária” da mulher que foge às expectativas morais e sociais e sua subversão por Amado e Lopes-Graça, esta última realizada musicalmente a partir da noção de anticlímax, apontada por Mário Vieira de Carvalho (1999, 2006).
Original languagePortuguese
Publication statusPublished - Aug 2017
EventIII Congresso da Associação Regional para a América Latina e o Caribe da International Musicological Society - Universidade Católica de Santos, Brazil
Duration: 1 Aug 20175 Aug 2017

Other

OtherIII Congresso da Associação Regional para a América Latina e o Caribe da International Musicological Society
CountryBrazil
Period1/08/175/08/17

Keywords

  • Fernando Lopes-Graça
  • Gabriela Cravo e Canela
  • Jorge Amado
  • Carmen
  • Habanera

Cite this

Lopes, G. (2017). Cave carmen: o uso da habanera na abertura Gabriela, Cravo e Canela, de Fernando Lopes-Graça. Paper presented at III Congresso da Associação Regional para a América Latina e o Caribe da International Musicological Society , Brazil.