Cavalheiros, mercadores ou centauros? Traços de actividade e sentido de si dos editores

Research output: Chapter in Book/Report/Conference proceedingChapter

Abstract

Neste capítulo pensa-se o editor de livros enquanto figura geradora de práticas e retóricas próprias. Este manancial de práticas e discursos tem acompanhado vastos segmentos do sector desde a autonomização do editor enquanto persona com uma posição específica no âmbito dos profissionais do livro e da cultura escrita, impressa e publicada. Na sua absoluta diferenciação interna, os editores não deixam de compor um grupo que, com todas as áreas cinzentas e infidelidades, possui características conferentes de identidade, igualmente plural (quando não feita de paradoxos e até disfunções). A edição contemporânea, em mutação acelerada, sempre se localizou nos interstícios de uma actividade pautada pela relação tensa e instável entre uma vocação mais virada para a produção cultural como desígnio irredutível aos elementos venais e de lucro financeiro (na qual o ganho se media e mede pela bitola do conteúdo e do seu contributo para o património escrito de uma comunidade local, de um país, de um espaço linguístico ou da própria humanidade) e uma propensão para a produção assente em premissas comerciais, tão legítimas como outro negócio qualquer, mesmo aqueles que pertencem ao universo dos bens culturais. A análise procura vislumbrar as implicações desta dualidade (frequentemente mais aparente do que efectiva), sem preferência por qualquer um dos dois pólos, opção que inviabilizaria a compreensão crítica dos processos. Este traço de actividade liga-se intimamente com dois elementos fortemente constitutivos de identidade, nem sempre fundada na realidade dos contextos. Um dos elementos prende-se com o sentimento de distinção cultural, durante muito tempo vigente em largas camadas dos profissionais de edição e que ainda sobrevive num mundo de fusões, concentrações e internacionalizações, embora transformado e matizado. O outro elemento de identidade, estreitamente conectado com o anterior, é a permanência da crise como dado existencial.
Original languagePortuguese
Title of host publicationComunidades de Leitura
Subtitle of host publicationCinco estudos de sociologia da cultura
Place of PublicationLisbon
PublisherColibri
Pages23-61
Number of pages39
Edition1
ISBN (Print)978-972-772-923-4
Publication statusPublished - 2009

Cite this