Capelas dos ossos e património macabro em Portugal

Research output: Chapter in Book/Report/Conference proceedingChapter

194 Downloads (Pure)

Abstract

Este artigo propõe uma pequena reflexão acerca das Capelas dos Ossos em Portugal como símbolos de um particular Património Macabro que domina sobretudo o Sul de Portugal. Estas capelas radicam de uma atitude diante da morte própria da cultura barroca que podemos situar entre os séculos XVI e XVIII. Com um breve enquadramento filosófico e contextual daremos um especial enfoque à Capela dos Ossos de Évora, o caso mais paradigmático e antigo, mostrando como a consciência da vanitas nas capelas em jeito de Memento Mori, concorriam com uma estetização da morte, numa sociedade que tendia mais para a fé do que para a razão, em particular o caso português onde a Inquisição e o pós Concílio de Trento deu à Religião um enorme poder e influência na vida dos fiéis, contribuindo tanto para um fascínio pelo horror ou
um gosto pelo macabro como para uma certa medievalização da cultura artística.
Original languagePortuguese
Title of host publicationReflexões sobre Património Cultural
EditorsFernando Magalhães, Jenny Sousa, Maria de São Pedro Lopes
Place of PublicationLeiria
PublisherCICS.NOVA (Pólo de Leiria)/ESECS - Instituto Politécnico de Leiria
Pages74-87
Number of pages14
ISBN (Electronic)9789898797155
Publication statusPublished - 2017

Cite this

Lousa, M. T. (2017). Capelas dos ossos e património macabro em Portugal. In F. Magalhães, J. Sousa, & M. D. S. P. Lopes (Eds.), Reflexões sobre Património Cultural (pp. 74-87). CICS.NOVA (Pólo de Leiria)/ESECS - Instituto Politécnico de Leiria. http://sites.ipleiria.pt/cipc2017/pt/livro-reflexoes-sobre-patrimonio-cultural/