Abstract

Plantas de Triticum aestivum L. cv. Nabão desenvolveram-se em vasos, em condições ambientais controladas (80% HR; 24/20ºC dia/noite; Irradiância ca. 700 ^mol m-2 s-1; 12 h fotoperíodo) e foram irrigadas com uma solução standard (1Ts) durante 1 mês após a germinação. Posteriormente, até ao final da fase reprodutiva, metade dos vasos foi mantida nessas condições enquanto a outra metade foi irrigada com uma solução 5 vezes mais concentrada de todos os nutrientes (1T5s). Num segundo ciclo de biofortificação, as sementes obtidas em solução nutritiva enriquecida foram semeadas e as plantas irrigadas com solução standard (2Ts) ou 5 vezes concentrada (2T5s). As sementes das plantas 2Ts e 2T5s mostraram aumentos da concentração de Zn (ca. 9.9 e 8.9 vezes) e Fe (ca. 3.9 e 5 vezes), quando comparadas com as sementes iniciais (0Ts). Devido ao papel decisivo do metabolismo fotossintético para a produção, procedeu-se à avaliação do seu funcionamento ao longo do ciclo de vida (55, 73, 91 dias após germinação, DAG) nas plantas 0Ts, 2Ts e 2T5s. Os últimos 2 tratamentos mostraram maiores taxas de fotossíntese líquida (Pn) e menores taxas de condutância estomática e transpiração, traduzindo-se num aumento da eficiência do uso da água (WUE). As diferenças entre estes tratamentos e 0Ts aumentaram para o final do ciclo de vida. Concomitantemente, a eficiência fotoquímica do fotossistema II (PSII), a estimativa da taxa de transporte tilacoidal de eletrões e a proporção de energia utilizada em eventos fotoquímicos foram frequentemente maiores em 2Ts e 2T5s do que em 0Ts ao longo de todo o ciclo de vida, particularmente para o seu final, refletindo um maior grau de eficiência, que se manteve por um período mais longo, tal como já se havia observado para Pn. Após 52 e 74 DAG o funcionamento do PSI e PSII foi marginalmente superior em 2Ts e 2T5s, mas a diferença para 0Ts aumentou significativamente em 94 DAG. Nesta altura as plantas 0Ts mostram claramente menor taxa total de transporte de eletrões (H2O-MV), provavelmente ligada ao decréscimo de funcionamento dos 2 fotossistemas. Não foram detetadas alterações significativas ao nível do teor dos transportadores tilacóidais de eletrões nem dos pigmentos fotossintéticos (clorofilas e carotenoides totais), pelo que se sugere que a maior eficiência da maquinaria fotossintética nas plantas 2Ts e 2T5s refletirá modificações ao nível metabólico.
Original languageUnknown
Volume0
Publication statusPublished - 1 Jan 2012

Cite this

@misc{9db460d010384e3eaba3fcc11fedba00,
title = "Biofortifica{\cc}{\~a}o de trigo em Zn e Fe - implica{\cc}{\~o}es ao n{\'i}vel da assimila{\cc}{\~a}o",
abstract = "Plantas de Triticum aestivum L. cv. Nab{\~a}o desenvolveram-se em vasos, em condi{\cc}{\~o}es ambientais controladas (80{\%} HR; 24/20ºC dia/noite; Irradi{\^a}ncia ca. 700 ^mol m-2 s-1; 12 h fotoper{\'i}odo) e foram irrigadas com uma solu{\cc}{\~a}o standard (1Ts) durante 1 m{\^e}s ap{\'o}s a germina{\cc}{\~a}o. Posteriormente, at{\'e} ao final da fase reprodutiva, metade dos vasos foi mantida nessas condi{\cc}{\~o}es enquanto a outra metade foi irrigada com uma solu{\cc}{\~a}o 5 vezes mais concentrada de todos os nutrientes (1T5s). Num segundo ciclo de biofortifica{\cc}{\~a}o, as sementes obtidas em solu{\cc}{\~a}o nutritiva enriquecida foram semeadas e as plantas irrigadas com solu{\cc}{\~a}o standard (2Ts) ou 5 vezes concentrada (2T5s). As sementes das plantas 2Ts e 2T5s mostraram aumentos da concentra{\cc}{\~a}o de Zn (ca. 9.9 e 8.9 vezes) e Fe (ca. 3.9 e 5 vezes), quando comparadas com as sementes iniciais (0Ts). Devido ao papel decisivo do metabolismo fotossint{\'e}tico para a produ{\cc}{\~a}o, procedeu-se {\`a} avalia{\cc}{\~a}o do seu funcionamento ao longo do ciclo de vida (55, 73, 91 dias ap{\'o}s germina{\cc}{\~a}o, DAG) nas plantas 0Ts, 2Ts e 2T5s. Os {\'u}ltimos 2 tratamentos mostraram maiores taxas de fotoss{\'i}ntese l{\'i}quida (Pn) e menores taxas de condut{\^a}ncia estom{\'a}tica e transpira{\cc}{\~a}o, traduzindo-se num aumento da efici{\^e}ncia do uso da {\'a}gua (WUE). As diferen{\cc}as entre estes tratamentos e 0Ts aumentaram para o final do ciclo de vida. Concomitantemente, a efici{\^e}ncia fotoqu{\'i}mica do fotossistema II (PSII), a estimativa da taxa de transporte tilacoidal de eletr{\~o}es e a propor{\cc}{\~a}o de energia utilizada em eventos fotoqu{\'i}micos foram frequentemente maiores em 2Ts e 2T5s do que em 0Ts ao longo de todo o ciclo de vida, particularmente para o seu final, refletindo um maior grau de efici{\^e}ncia, que se manteve por um per{\'i}odo mais longo, tal como j{\'a} se havia observado para Pn. Ap{\'o}s 52 e 74 DAG o funcionamento do PSI e PSII foi marginalmente superior em 2Ts e 2T5s, mas a diferen{\cc}a para 0Ts aumentou significativamente em 94 DAG. Nesta altura as plantas 0Ts mostram claramente menor taxa total de transporte de eletr{\~o}es (H2O-MV), provavelmente ligada ao decr{\'e}scimo de funcionamento dos 2 fotossistemas. N{\~a}o foram detetadas altera{\cc}{\~o}es significativas ao n{\'i}vel do teor dos transportadores tilac{\'o}idais de eletr{\~o}es nem dos pigmentos fotossint{\'e}ticos (clorofilas e carotenoides totais), pelo que se sugere que a maior efici{\^e}ncia da maquinaria fotossint{\'e}tica nas plantas 2Ts e 2T5s refletir{\'a} modifica{\cc}{\~o}es ao n{\'i}vel metab{\'o}lico.",
keywords = "Triticum, Assimilation, Zinc, Iron",
author = "Fernando, {Ana Lu{\'i}sa Alma{\cc}a da Cruz} and Lidon, {Fernando Jos{\'e} Cebola} and Reboredo, {Fernando Henrique da Silva} and Duarte, {Maria Paula Amaro de Castilho}",
year = "2012",
month = "1",
day = "1",
language = "Unknown",
volume = "0",
type = "Other",

}

TY - GEN

T1 - Biofortificação de trigo em Zn e Fe - implicações ao nível da assimilação

AU - Fernando, Ana Luísa Almaça da Cruz

AU - Lidon, Fernando José Cebola

AU - Reboredo, Fernando Henrique da Silva

AU - Duarte, Maria Paula Amaro de Castilho

PY - 2012/1/1

Y1 - 2012/1/1

N2 - Plantas de Triticum aestivum L. cv. Nabão desenvolveram-se em vasos, em condições ambientais controladas (80% HR; 24/20ºC dia/noite; Irradiância ca. 700 ^mol m-2 s-1; 12 h fotoperíodo) e foram irrigadas com uma solução standard (1Ts) durante 1 mês após a germinação. Posteriormente, até ao final da fase reprodutiva, metade dos vasos foi mantida nessas condições enquanto a outra metade foi irrigada com uma solução 5 vezes mais concentrada de todos os nutrientes (1T5s). Num segundo ciclo de biofortificação, as sementes obtidas em solução nutritiva enriquecida foram semeadas e as plantas irrigadas com solução standard (2Ts) ou 5 vezes concentrada (2T5s). As sementes das plantas 2Ts e 2T5s mostraram aumentos da concentração de Zn (ca. 9.9 e 8.9 vezes) e Fe (ca. 3.9 e 5 vezes), quando comparadas com as sementes iniciais (0Ts). Devido ao papel decisivo do metabolismo fotossintético para a produção, procedeu-se à avaliação do seu funcionamento ao longo do ciclo de vida (55, 73, 91 dias após germinação, DAG) nas plantas 0Ts, 2Ts e 2T5s. Os últimos 2 tratamentos mostraram maiores taxas de fotossíntese líquida (Pn) e menores taxas de condutância estomática e transpiração, traduzindo-se num aumento da eficiência do uso da água (WUE). As diferenças entre estes tratamentos e 0Ts aumentaram para o final do ciclo de vida. Concomitantemente, a eficiência fotoquímica do fotossistema II (PSII), a estimativa da taxa de transporte tilacoidal de eletrões e a proporção de energia utilizada em eventos fotoquímicos foram frequentemente maiores em 2Ts e 2T5s do que em 0Ts ao longo de todo o ciclo de vida, particularmente para o seu final, refletindo um maior grau de eficiência, que se manteve por um período mais longo, tal como já se havia observado para Pn. Após 52 e 74 DAG o funcionamento do PSI e PSII foi marginalmente superior em 2Ts e 2T5s, mas a diferença para 0Ts aumentou significativamente em 94 DAG. Nesta altura as plantas 0Ts mostram claramente menor taxa total de transporte de eletrões (H2O-MV), provavelmente ligada ao decréscimo de funcionamento dos 2 fotossistemas. Não foram detetadas alterações significativas ao nível do teor dos transportadores tilacóidais de eletrões nem dos pigmentos fotossintéticos (clorofilas e carotenoides totais), pelo que se sugere que a maior eficiência da maquinaria fotossintética nas plantas 2Ts e 2T5s refletirá modificações ao nível metabólico.

AB - Plantas de Triticum aestivum L. cv. Nabão desenvolveram-se em vasos, em condições ambientais controladas (80% HR; 24/20ºC dia/noite; Irradiância ca. 700 ^mol m-2 s-1; 12 h fotoperíodo) e foram irrigadas com uma solução standard (1Ts) durante 1 mês após a germinação. Posteriormente, até ao final da fase reprodutiva, metade dos vasos foi mantida nessas condições enquanto a outra metade foi irrigada com uma solução 5 vezes mais concentrada de todos os nutrientes (1T5s). Num segundo ciclo de biofortificação, as sementes obtidas em solução nutritiva enriquecida foram semeadas e as plantas irrigadas com solução standard (2Ts) ou 5 vezes concentrada (2T5s). As sementes das plantas 2Ts e 2T5s mostraram aumentos da concentração de Zn (ca. 9.9 e 8.9 vezes) e Fe (ca. 3.9 e 5 vezes), quando comparadas com as sementes iniciais (0Ts). Devido ao papel decisivo do metabolismo fotossintético para a produção, procedeu-se à avaliação do seu funcionamento ao longo do ciclo de vida (55, 73, 91 dias após germinação, DAG) nas plantas 0Ts, 2Ts e 2T5s. Os últimos 2 tratamentos mostraram maiores taxas de fotossíntese líquida (Pn) e menores taxas de condutância estomática e transpiração, traduzindo-se num aumento da eficiência do uso da água (WUE). As diferenças entre estes tratamentos e 0Ts aumentaram para o final do ciclo de vida. Concomitantemente, a eficiência fotoquímica do fotossistema II (PSII), a estimativa da taxa de transporte tilacoidal de eletrões e a proporção de energia utilizada em eventos fotoquímicos foram frequentemente maiores em 2Ts e 2T5s do que em 0Ts ao longo de todo o ciclo de vida, particularmente para o seu final, refletindo um maior grau de eficiência, que se manteve por um período mais longo, tal como já se havia observado para Pn. Após 52 e 74 DAG o funcionamento do PSI e PSII foi marginalmente superior em 2Ts e 2T5s, mas a diferença para 0Ts aumentou significativamente em 94 DAG. Nesta altura as plantas 0Ts mostram claramente menor taxa total de transporte de eletrões (H2O-MV), provavelmente ligada ao decréscimo de funcionamento dos 2 fotossistemas. Não foram detetadas alterações significativas ao nível do teor dos transportadores tilacóidais de eletrões nem dos pigmentos fotossintéticos (clorofilas e carotenoides totais), pelo que se sugere que a maior eficiência da maquinaria fotossintética nas plantas 2Ts e 2T5s refletirá modificações ao nível metabólico.

KW - Triticum

KW - Assimilation

KW - Zinc

KW - Iron

M3 - Other contribution

VL - 0

ER -