Belas páginas esquecidas da história do jornalismo português: as três primeiras gerações de revistas ilustradas e a vulgarização da informação iconográfica na imprensa portuguesa (1835-1935)

Research output: Contribution to journalReview article

Abstract

Surgidas, em Portugal, em 1835, as revistas ilustradas foram pioneiras na junção de
informação iconográfica à palavra escrita. Ao permitirem “ver” um mundo em transformação, elas tornaram-se um meio de comunicação distinto. Mesmo em Portugal, um país então caracterizado pelo analfabetismo, alguns títulos tiveram tiragens de milhares de exemplares.
Este estudo apresenta os resultados preliminares de uma investigação pioneira e original, alicerçada em pesquisa documental, sobre a origem e desenvolvimento das revistas ilustradas em Portugal. Os dados obtidos confirmam a hipótese de que em Portugal houve três gerações de revistas ilustradas entre 1835 e 1935, podendo dizer-se que o país acompanhou os estádios de desenvolvimento que estas revistas tiveram nos principais países europeus: (1) uma primeira geração, de carácter enciclopédico; (2) uma geração de transição, caracterizada pela
incorporação de informação iconográfica sobre acontecimentos da atualidade, logo na década de 1840; e (3) uma terceira geração, cuja identidade radicou na explosão da cobertura gráfica dos acontecimentos da atualidade, por meio de xilogravuras, primeiro, e de fotografias, depois.
Original languagePortuguese
Pages (from-to)1-17
Number of pages17
JournalRevista Portuguesa de História da Comunicação
Issue number1
Publication statusPublished - Jul 2017

Keywords

  • Portugal
  • revistas ilustradas
  • história do jornalismo
  • informação gráfica
  • gravuras de madeira

Cite this

@article{f4c961e0dadf4aae89ad9ed91776b7d3,
title = "Belas p{\'a}ginas esquecidas da hist{\'o}ria do jornalismo portugu{\^e}s: as tr{\^e}s primeiras gera{\cc}{\~o}es de revistas ilustradas e a vulgariza{\cc}{\~a}o da informa{\cc}{\~a}o iconogr{\'a}fica na imprensa portuguesa (1835-1935)",
abstract = "Surgidas, em Portugal, em 1835, as revistas ilustradas foram pioneiras na jun{\cc}{\~a}o deinforma{\cc}{\~a}o iconogr{\'a}fica {\`a} palavra escrita. Ao permitirem “ver” um mundo em transforma{\cc}{\~a}o, elas tornaram-se um meio de comunica{\cc}{\~a}o distinto. Mesmo em Portugal, um pa{\'i}s ent{\~a}o caracterizado pelo analfabetismo, alguns t{\'i}tulos tiveram tiragens de milhares de exemplares.Este estudo apresenta os resultados preliminares de uma investiga{\cc}{\~a}o pioneira e original, alicer{\cc}ada em pesquisa documental, sobre a origem e desenvolvimento das revistas ilustradas em Portugal. Os dados obtidos confirmam a hip{\'o}tese de que em Portugal houve tr{\^e}s gera{\cc}{\~o}es de revistas ilustradas entre 1835 e 1935, podendo dizer-se que o pa{\'i}s acompanhou os est{\'a}dios de desenvolvimento que estas revistas tiveram nos principais pa{\'i}ses europeus: (1) uma primeira gera{\cc}{\~a}o, de car{\'a}cter enciclop{\'e}dico; (2) uma gera{\cc}{\~a}o de transi{\cc}{\~a}o, caracterizada pela incorpora{\cc}{\~a}o de informa{\cc}{\~a}o iconogr{\'a}fica sobre acontecimentos da atualidade, logo na d{\'e}cada de 1840; e (3) uma terceira gera{\cc}{\~a}o, cuja identidade radicou na explos{\~a}o da cobertura gr{\'a}fica dos acontecimentos da atualidade, por meio de xilogravuras, primeiro, e de fotografias, depois.",
keywords = "Portugal, revistas ilustradas, hist{\'o}ria do jornalismo, informa{\cc}{\~a}o gr{\'a}fica, gravuras de madeira",
author = "Sousa, {Pedro Jorge de} and Teixeira, {Patr{\'i}cia Oliveira}",
note = "UID/CCI/04667/2016",
year = "2017",
month = "7",
language = "Portuguese",
pages = "1--17",
journal = "Revista Portuguesa de Hist{\'o}ria da Comunica{\cc}{\~a}o",
issn = "2183-9506",
number = "1",

}

TY - JOUR

T1 - Belas páginas esquecidas da história do jornalismo português

T2 - as três primeiras gerações de revistas ilustradas e a vulgarização da informação iconográfica na imprensa portuguesa (1835-1935)

AU - Sousa, Pedro Jorge de

AU - Teixeira, Patrícia Oliveira

N1 - UID/CCI/04667/2016

PY - 2017/7

Y1 - 2017/7

N2 - Surgidas, em Portugal, em 1835, as revistas ilustradas foram pioneiras na junção deinformação iconográfica à palavra escrita. Ao permitirem “ver” um mundo em transformação, elas tornaram-se um meio de comunicação distinto. Mesmo em Portugal, um país então caracterizado pelo analfabetismo, alguns títulos tiveram tiragens de milhares de exemplares.Este estudo apresenta os resultados preliminares de uma investigação pioneira e original, alicerçada em pesquisa documental, sobre a origem e desenvolvimento das revistas ilustradas em Portugal. Os dados obtidos confirmam a hipótese de que em Portugal houve três gerações de revistas ilustradas entre 1835 e 1935, podendo dizer-se que o país acompanhou os estádios de desenvolvimento que estas revistas tiveram nos principais países europeus: (1) uma primeira geração, de carácter enciclopédico; (2) uma geração de transição, caracterizada pela incorporação de informação iconográfica sobre acontecimentos da atualidade, logo na década de 1840; e (3) uma terceira geração, cuja identidade radicou na explosão da cobertura gráfica dos acontecimentos da atualidade, por meio de xilogravuras, primeiro, e de fotografias, depois.

AB - Surgidas, em Portugal, em 1835, as revistas ilustradas foram pioneiras na junção deinformação iconográfica à palavra escrita. Ao permitirem “ver” um mundo em transformação, elas tornaram-se um meio de comunicação distinto. Mesmo em Portugal, um país então caracterizado pelo analfabetismo, alguns títulos tiveram tiragens de milhares de exemplares.Este estudo apresenta os resultados preliminares de uma investigação pioneira e original, alicerçada em pesquisa documental, sobre a origem e desenvolvimento das revistas ilustradas em Portugal. Os dados obtidos confirmam a hipótese de que em Portugal houve três gerações de revistas ilustradas entre 1835 e 1935, podendo dizer-se que o país acompanhou os estádios de desenvolvimento que estas revistas tiveram nos principais países europeus: (1) uma primeira geração, de carácter enciclopédico; (2) uma geração de transição, caracterizada pela incorporação de informação iconográfica sobre acontecimentos da atualidade, logo na década de 1840; e (3) uma terceira geração, cuja identidade radicou na explosão da cobertura gráfica dos acontecimentos da atualidade, por meio de xilogravuras, primeiro, e de fotografias, depois.

KW - Portugal

KW - revistas ilustradas

KW - história do jornalismo

KW - informação gráfica

KW - gravuras de madeira

M3 - Review article

SP - 1

EP - 17

JO - Revista Portuguesa de História da Comunicação

JF - Revista Portuguesa de História da Comunicação

SN - 2183-9506

IS - 1

ER -