As vozes e os sussurros das paredes de Porto Alegre

Research output: Contribution to journalArticle

6 Downloads (Pure)

Abstract

Este é um ensaio visual que decorre de um curto período de estadia na cidade de Porto Alegre (Rio Grande do Sul), no âmbito do convite que me foi endereçado pela professora Cornélia Eckert, para desenvolver um conjunto de actividades junto do Navisual, em Maio de 2017. Este foi um período bastante frutífero, quer no que respeita a um primeiro contacto com o meio da Arte Urbana na cidade, quer no que respeita ao estudo do tipo de expressões existente. No decurso desta primeira exploração, foram realizadas algumas caminhadas urbanas, desenhadas pelo pesquisador do Navisual Junior Abalos, em função das particularidades das inscrições e expressões artísticas existentes nos diversos territórios. Se, por um lado, observámos circuitos mais formais, organizados e legitimados de arte urbana, apoiados pelos poderes públicos, por outro lado, tivemos a oportunidade de nos confrontar com apropriações territoriais espontâneas, informais, ilegais e inusitadas, revelando até que ponto as inscrições urbanas podem ter um carácter indomável. No primeiro caso podemos claramente colocar como exemplo o “Zis-Grafite” nos bairros do 4º distrito quando, no segundo caso, podemos incluir a “Cidade baixa”, um território que pelas suas características e paisagem visual, me recordou a situação do Bairro Alto lisboeta há cerca de uma década (Campos, 2009, 2010).
Original languagePortuguese
Pages (from-to)229-235
Number of pages6
JournalIluminuras
Volume18
Issue number44
Publication statusPublished - 2017

Cite this