As Frentes Ribeirinhas do Estuário do Tejo no Período Pós-Industrial: o caso do concelho da Moita

Research output: Chapter in Book/Report/Conference proceedingChapter

8 Downloads (Pure)

Abstract

Os espaços estuarinos, em geral, e as frentes ribeirinhas, em particular, traduzem um longo e complexo processo de acumulação e sucessão de funções. Um processo despoletado pela atractividade exercida por estes espaços para a fixação humana e, por esta via, para o desenvolvimento de uma multiplicidade de actividades. No caso das frentes ribeirinhas do concelho da Moita (Estuário do
Tejo), a ocupação com actividades ligadas a funções litorais, actividades agrícolas e actividades industriais moldou este território de interface terra-água. No período pós-industrial, as estratégias intervenção para estas frentes ribeirinhas reflectem esta estrutura de ocupação. Neste âmbito, a comunicação centra-se no teste da hipótese segundo a qual são predominantes as orientações conducentes (i) à requalificação dos espaços urbanos confinantes com o plano de água, e (ii) à reabilitação e revalorização ambiental das áreas ocupadas essencialmente por estruturas de antigas marinhas e moinhos de maré.
Original languagePortuguese
Title of host publicationAtas do XIV Colóquio Ibérico de Geografia
Subtitle of host publication“A Jangada de Pedra – Geografias Ibero-Afro-Americanas”
EditorsVieira António, Julião Rui Pedro
Place of PublicationGuimarães
PublisherAssociação Portuguesa de Geógrafos/Departamento de Geografia da Universidade do Minho
Pages1310-1315
Number of pages5
ISBN (Print)978-972-99436-8-3
Publication statusPublished - 1 Jan 2014

Keywords

  • Período Pós-Industrial
  • Frente Ribeirinha
  • Requalificação Urbana
  • Estuário do Tejo

Cite this