As Damas da Rainha D. Maria Ana de Áustria e as novas sociabilidades musicais da aristocracia lisboeta nas primeiras décadas do século XVIII

Research output: Contribution to conferenceAbstract

Abstract

A comunicação pretende analisar o círculo cultural privilegiado das Damas da Rainha D. Maria Ana de Áustria no contexto das novas sociabilidades musicais da aristocracia lisboeta que emergem durante as primeiras décadas do reinado de D. João V, nas quais as mulheres ganham protagonismo. Entre elas destaca-se D. Inês Antónia da Silva (1694-1727), neta do 3º Conde de Castelo Melhor e irmã de Luísa Clara de Portugal (a famosa Flor da Murta, uma das amantes de D. João V) pelo seu intenso envolvimento com a prática musical. Graças a um manuscrito inédito, pertencente a uma colecção particular — Diários de notícias de Lisboa do 1º de Dezembro de 1725 até 11 de Outubro de 1727, dirigidos à Ex.ma S.ra Condessa de Sarzedas, estando em Castelo Branco — sabemos que para além do acesso privilegiado que tinha às actividades musicais no Paço da Ribeira e da sua participação como intérprete em conjunto com a Infanta D. Francisca e outras damas da corte em cantatas, comédias e zarzuelas promovidas pela rainha, D. Inês Antónia organizava frequentemente Serenatas na sua própria casa, onde actuavam vários músicos ligados à Casa Real e nas quais ela própria e as suas irmãs cantavam e dançavam. Os seus salões serviam também por vezes de local de ensaio de Serenatas e outras peças a apresentar no Palácio Real. As informações fornecidas pelo referido Diário, em conjunto com as que se podem encontrar nas Gazetas Manuscritas da Biblioteca Pública de Évora, na Gazeta de Lisboa e noutras fontes da época, permitem ampliar com novos dados (incluindo a identificação de compositores, obras e promotores) o quadro das práticas musicais da aristocracia em Lisboa nas primeiras décadas do séc. XVIII.
Original languagePortuguese
Pages14
Number of pages1
Publication statusPublished - 2017
EventVII Encontro Nacional de Investigação em Música ENIM 2017 - Universidade do Minho, SPIM, Braga, Portugal
Duration: 9 Nov 201711 Nov 2017

Conference

ConferenceVII Encontro Nacional de Investigação em Música ENIM 2017
Abbreviated titleENIM 2017
CountryPortugal
CityBraga
Period9/11/1711/11/17

Keywords

  • Rainha D. Maria Ana de Áustria
  • Aristocracia
  • Lisboa
  • Século XVIII
  • Práticas musicais

Cite this

Fernandes, C. (2017). As Damas da Rainha D. Maria Ana de Áustria e as novas sociabilidades musicais da aristocracia lisboeta nas primeiras décadas do século XVIII. 14. Abstract from VII Encontro Nacional de Investigação em Música ENIM 2017, Braga, Portugal.
@conference{b6b5312c3b464d1daa69010c645a96c3,
title = "As Damas da Rainha D. Maria Ana de {\'A}ustria e as novas sociabilidades musicais da aristocracia lisboeta nas primeiras d{\'e}cadas do s{\'e}culo XVIII",
abstract = "A comunica{\cc}{\~a}o pretende analisar o c{\'i}rculo cultural privilegiado das Damas da Rainha D. Maria Ana de {\'A}ustria no contexto das novas sociabilidades musicais da aristocracia lisboeta que emergem durante as primeiras d{\'e}cadas do reinado de D. Jo{\~a}o V, nas quais as mulheres ganham protagonismo. Entre elas destaca-se D. In{\^e}s Ant{\'o}nia da Silva (1694-1727), neta do 3º Conde de Castelo Melhor e irm{\~a} de Lu{\'i}sa Clara de Portugal (a famosa Flor da Murta, uma das amantes de D. Jo{\~a}o V) pelo seu intenso envolvimento com a pr{\'a}tica musical. Gra{\cc}as a um manuscrito in{\'e}dito, pertencente a uma colec{\cc}{\~a}o particular — Di{\'a}rios de not{\'i}cias de Lisboa do 1º de Dezembro de 1725 at{\'e} 11 de Outubro de 1727, dirigidos {\`a} Ex.ma S.ra Condessa de Sarzedas, estando em Castelo Branco — sabemos que para al{\'e}m do acesso privilegiado que tinha {\`a}s actividades musicais no Pa{\cc}o da Ribeira e da sua participa{\cc}{\~a}o como int{\'e}rprete em conjunto com a Infanta D. Francisca e outras damas da corte em cantatas, com{\'e}dias e zarzuelas promovidas pela rainha, D. In{\^e}s Ant{\'o}nia organizava frequentemente Serenatas na sua pr{\'o}pria casa, onde actuavam v{\'a}rios m{\'u}sicos ligados {\`a} Casa Real e nas quais ela pr{\'o}pria e as suas irm{\~a}s cantavam e dan{\cc}avam. Os seus sal{\~o}es serviam tamb{\'e}m por vezes de local de ensaio de Serenatas e outras pe{\cc}as a apresentar no Pal{\'a}cio Real. As informa{\cc}{\~o}es fornecidas pelo referido Di{\'a}rio, em conjunto com as que se podem encontrar nas Gazetas Manuscritas da Biblioteca P{\'u}blica de {\'E}vora, na Gazeta de Lisboa e noutras fontes da {\'e}poca, permitem ampliar com novos dados (incluindo a identifica{\cc}{\~a}o de compositores, obras e promotores) o quadro das pr{\'a}ticas musicais da aristocracia em Lisboa nas primeiras d{\'e}cadas do s{\'e}c. XVIII.",
keywords = "Rainha D. Maria Ana de {\'A}ustria, Aristocracia, Lisboa, S{\'e}culo XVIII, Pr{\'a}ticas musicais",
author = "Cristina Fernandes",
note = "info:eu-repo/grantAgreement/FCT/5876/147236/PT# info:eu-repo/grantAgreement/FCT/SFRH/SFRH{\%}2FBPD{\%}2F75201{\%}2F2010/PT# UID/EAT/00472/2013 SFRH/BPD/75201/2010; null ; Conference date: 09-11-2017 Through 11-11-2017",
year = "2017",
language = "Portuguese",
pages = "14",

}

Fernandes, C 2017, 'As Damas da Rainha D. Maria Ana de Áustria e as novas sociabilidades musicais da aristocracia lisboeta nas primeiras décadas do século XVIII' VII Encontro Nacional de Investigação em Música ENIM 2017, Braga, Portugal, 9/11/17 - 11/11/17, pp. 14.

As Damas da Rainha D. Maria Ana de Áustria e as novas sociabilidades musicais da aristocracia lisboeta nas primeiras décadas do século XVIII. / Fernandes, Cristina.

2017. 14 Abstract from VII Encontro Nacional de Investigação em Música ENIM 2017, Braga, Portugal.

Research output: Contribution to conferenceAbstract

TY - CONF

T1 - As Damas da Rainha D. Maria Ana de Áustria e as novas sociabilidades musicais da aristocracia lisboeta nas primeiras décadas do século XVIII

AU - Fernandes, Cristina

N1 - info:eu-repo/grantAgreement/FCT/5876/147236/PT# info:eu-repo/grantAgreement/FCT/SFRH/SFRH%2FBPD%2F75201%2F2010/PT# UID/EAT/00472/2013 SFRH/BPD/75201/2010

PY - 2017

Y1 - 2017

N2 - A comunicação pretende analisar o círculo cultural privilegiado das Damas da Rainha D. Maria Ana de Áustria no contexto das novas sociabilidades musicais da aristocracia lisboeta que emergem durante as primeiras décadas do reinado de D. João V, nas quais as mulheres ganham protagonismo. Entre elas destaca-se D. Inês Antónia da Silva (1694-1727), neta do 3º Conde de Castelo Melhor e irmã de Luísa Clara de Portugal (a famosa Flor da Murta, uma das amantes de D. João V) pelo seu intenso envolvimento com a prática musical. Graças a um manuscrito inédito, pertencente a uma colecção particular — Diários de notícias de Lisboa do 1º de Dezembro de 1725 até 11 de Outubro de 1727, dirigidos à Ex.ma S.ra Condessa de Sarzedas, estando em Castelo Branco — sabemos que para além do acesso privilegiado que tinha às actividades musicais no Paço da Ribeira e da sua participação como intérprete em conjunto com a Infanta D. Francisca e outras damas da corte em cantatas, comédias e zarzuelas promovidas pela rainha, D. Inês Antónia organizava frequentemente Serenatas na sua própria casa, onde actuavam vários músicos ligados à Casa Real e nas quais ela própria e as suas irmãs cantavam e dançavam. Os seus salões serviam também por vezes de local de ensaio de Serenatas e outras peças a apresentar no Palácio Real. As informações fornecidas pelo referido Diário, em conjunto com as que se podem encontrar nas Gazetas Manuscritas da Biblioteca Pública de Évora, na Gazeta de Lisboa e noutras fontes da época, permitem ampliar com novos dados (incluindo a identificação de compositores, obras e promotores) o quadro das práticas musicais da aristocracia em Lisboa nas primeiras décadas do séc. XVIII.

AB - A comunicação pretende analisar o círculo cultural privilegiado das Damas da Rainha D. Maria Ana de Áustria no contexto das novas sociabilidades musicais da aristocracia lisboeta que emergem durante as primeiras décadas do reinado de D. João V, nas quais as mulheres ganham protagonismo. Entre elas destaca-se D. Inês Antónia da Silva (1694-1727), neta do 3º Conde de Castelo Melhor e irmã de Luísa Clara de Portugal (a famosa Flor da Murta, uma das amantes de D. João V) pelo seu intenso envolvimento com a prática musical. Graças a um manuscrito inédito, pertencente a uma colecção particular — Diários de notícias de Lisboa do 1º de Dezembro de 1725 até 11 de Outubro de 1727, dirigidos à Ex.ma S.ra Condessa de Sarzedas, estando em Castelo Branco — sabemos que para além do acesso privilegiado que tinha às actividades musicais no Paço da Ribeira e da sua participação como intérprete em conjunto com a Infanta D. Francisca e outras damas da corte em cantatas, comédias e zarzuelas promovidas pela rainha, D. Inês Antónia organizava frequentemente Serenatas na sua própria casa, onde actuavam vários músicos ligados à Casa Real e nas quais ela própria e as suas irmãs cantavam e dançavam. Os seus salões serviam também por vezes de local de ensaio de Serenatas e outras peças a apresentar no Palácio Real. As informações fornecidas pelo referido Diário, em conjunto com as que se podem encontrar nas Gazetas Manuscritas da Biblioteca Pública de Évora, na Gazeta de Lisboa e noutras fontes da época, permitem ampliar com novos dados (incluindo a identificação de compositores, obras e promotores) o quadro das práticas musicais da aristocracia em Lisboa nas primeiras décadas do séc. XVIII.

KW - Rainha D. Maria Ana de Áustria

KW - Aristocracia

KW - Lisboa

KW - Século XVIII

KW - Práticas musicais

M3 - Abstract

SP - 14

ER -