Argamassas de terra. Comportamento higrotérmico função da granulometria da areia

Research output: Chapter in Book/Report/Conference proceedingConference contribution

Abstract

É referido em bibliografia que a utilização da terra em argamassas de reboco interiores apresenta propriedades muito importantes para a melhoria da qualidade e conforto do ambiente interior de edifícios. Destaca-se a elevada capacidade de adsorção de vapor de água, que pode contribuir para o equilíbrio dos ambientes interiores e, consequentemente, para a mitigação dos problemas de saúde associados a estados limites de humidade. O trabalho experimental que se apresenta teve como objectivo o estudo das propriedades higrotérmicas de argamassas de terra, através do estudo da sua condutibilidade térmica, da permeabilidade ao vapor de água e da capacidade higroscópica (a nível de adsorção mas também de desadsorção). Para tal formularam-se diversas argamassas com base numa mesma terra argilosa destorroada, proveniente do barrocal algarvio, e com diferentes misturas de areias siliciosas. Todas as argamassas foram formuladas ao traço volumétrico 1:3 de terra e areia, respectivamente. Compararam-se com duas argamassas pré-doseadas produzidas com terra da mesma região produzidas com equipamento de laboratório e de obra. Os resultados obtidos com as diversas argamassas são apresentados e discutidos, comparando sempre que possível com outros estudos e salientando-se particularmente os bons resultados apresentados em relação à higroscopicidade das argamassas estudadas. Essa capacidade deve-se às características da argila, que constitui o aglutinante das argamassas que constituem estes rebocos, e aparenta não ser muito influenciada pela granulometria das areias utilizadas, nem pela existência de baixa percentagem de fibras. Esta situação permite considerar argamassas com este tipo de terra como potencialmente adequadas para contribuírem para a regulação higrométrica dos espaços interiores, nomeadamente na reabilitação de edifícios existentes.
Original languageUnknown
Title of host publicationPATORREB – Conferência sobre Patologia e Reabilitação de Edifícios
Pages177-182
Publication statusPublished - 1 Jan 2015
EventPATORREB 2015 – 5ª Conferência sobre Patologia e Reabilitação de Edifícios -
Duration: 1 Jan 2015 → …

Conference

ConferencePATORREB 2015 – 5ª Conferência sobre Patologia e Reabilitação de Edifícios
Period1/01/15 → …

Cite this

Faria, P. (2015). Argamassas de terra. Comportamento higrotérmico função da granulometria da areia. In PATORREB – Conferência sobre Patologia e Reabilitação de Edifícios (pp. 177-182)
Faria, Paulina. / Argamassas de terra. Comportamento higrotérmico função da granulometria da areia. PATORREB – Conferência sobre Patologia e Reabilitação de Edifícios. 2015. pp. 177-182
@inproceedings{9d7e07656739481da1277f106f8726a8,
title = "Argamassas de terra. Comportamento higrot{\'e}rmico fun{\cc}{\~a}o da granulometria da areia",
abstract = "{\'E} referido em bibliografia que a utiliza{\cc}{\~a}o da terra em argamassas de reboco interiores apresenta propriedades muito importantes para a melhoria da qualidade e conforto do ambiente interior de edif{\'i}cios. Destaca-se a elevada capacidade de adsor{\cc}{\~a}o de vapor de {\'a}gua, que pode contribuir para o equil{\'i}brio dos ambientes interiores e, consequentemente, para a mitiga{\cc}{\~a}o dos problemas de sa{\'u}de associados a estados limites de humidade. O trabalho experimental que se apresenta teve como objectivo o estudo das propriedades higrot{\'e}rmicas de argamassas de terra, atrav{\'e}s do estudo da sua condutibilidade t{\'e}rmica, da permeabilidade ao vapor de {\'a}gua e da capacidade higrosc{\'o}pica (a n{\'i}vel de adsor{\cc}{\~a}o mas tamb{\'e}m de desadsor{\cc}{\~a}o). Para tal formularam-se diversas argamassas com base numa mesma terra argilosa destorroada, proveniente do barrocal algarvio, e com diferentes misturas de areias siliciosas. Todas as argamassas foram formuladas ao tra{\cc}o volum{\'e}trico 1:3 de terra e areia, respectivamente. Compararam-se com duas argamassas pr{\'e}-doseadas produzidas com terra da mesma regi{\~a}o produzidas com equipamento de laborat{\'o}rio e de obra. Os resultados obtidos com as diversas argamassas s{\~a}o apresentados e discutidos, comparando sempre que poss{\'i}vel com outros estudos e salientando-se particularmente os bons resultados apresentados em rela{\cc}{\~a}o {\`a} higroscopicidade das argamassas estudadas. Essa capacidade deve-se {\`a}s caracter{\'i}sticas da argila, que constitui o aglutinante das argamassas que constituem estes rebocos, e aparenta n{\~a}o ser muito influenciada pela granulometria das areias utilizadas, nem pela exist{\^e}ncia de baixa percentagem de fibras. Esta situa{\cc}{\~a}o permite considerar argamassas com este tipo de terra como potencialmente adequadas para contribu{\'i}rem para a regula{\cc}{\~a}o higrom{\'e}trica dos espa{\cc}os interiores, nomeadamente na reabilita{\cc}{\~a}o de edif{\'i}cios existentes.",
author = "Paulina Faria",
year = "2015",
month = "1",
day = "1",
language = "Unknown",
isbn = "978-972-752-177-7",
pages = "177--182",
booktitle = "PATORREB – Confer{\^e}ncia sobre Patologia e Reabilita{\cc}{\~a}o de Edif{\'i}cios",

}

Faria, P 2015, Argamassas de terra. Comportamento higrotérmico função da granulometria da areia. in PATORREB – Conferência sobre Patologia e Reabilitação de Edifícios. pp. 177-182, PATORREB 2015 – 5ª Conferência sobre Patologia e Reabilitação de Edifícios, 1/01/15.

Argamassas de terra. Comportamento higrotérmico função da granulometria da areia. / Faria, Paulina.

PATORREB – Conferência sobre Patologia e Reabilitação de Edifícios. 2015. p. 177-182.

Research output: Chapter in Book/Report/Conference proceedingConference contribution

TY - GEN

T1 - Argamassas de terra. Comportamento higrotérmico função da granulometria da areia

AU - Faria, Paulina

PY - 2015/1/1

Y1 - 2015/1/1

N2 - É referido em bibliografia que a utilização da terra em argamassas de reboco interiores apresenta propriedades muito importantes para a melhoria da qualidade e conforto do ambiente interior de edifícios. Destaca-se a elevada capacidade de adsorção de vapor de água, que pode contribuir para o equilíbrio dos ambientes interiores e, consequentemente, para a mitigação dos problemas de saúde associados a estados limites de humidade. O trabalho experimental que se apresenta teve como objectivo o estudo das propriedades higrotérmicas de argamassas de terra, através do estudo da sua condutibilidade térmica, da permeabilidade ao vapor de água e da capacidade higroscópica (a nível de adsorção mas também de desadsorção). Para tal formularam-se diversas argamassas com base numa mesma terra argilosa destorroada, proveniente do barrocal algarvio, e com diferentes misturas de areias siliciosas. Todas as argamassas foram formuladas ao traço volumétrico 1:3 de terra e areia, respectivamente. Compararam-se com duas argamassas pré-doseadas produzidas com terra da mesma região produzidas com equipamento de laboratório e de obra. Os resultados obtidos com as diversas argamassas são apresentados e discutidos, comparando sempre que possível com outros estudos e salientando-se particularmente os bons resultados apresentados em relação à higroscopicidade das argamassas estudadas. Essa capacidade deve-se às características da argila, que constitui o aglutinante das argamassas que constituem estes rebocos, e aparenta não ser muito influenciada pela granulometria das areias utilizadas, nem pela existência de baixa percentagem de fibras. Esta situação permite considerar argamassas com este tipo de terra como potencialmente adequadas para contribuírem para a regulação higrométrica dos espaços interiores, nomeadamente na reabilitação de edifícios existentes.

AB - É referido em bibliografia que a utilização da terra em argamassas de reboco interiores apresenta propriedades muito importantes para a melhoria da qualidade e conforto do ambiente interior de edifícios. Destaca-se a elevada capacidade de adsorção de vapor de água, que pode contribuir para o equilíbrio dos ambientes interiores e, consequentemente, para a mitigação dos problemas de saúde associados a estados limites de humidade. O trabalho experimental que se apresenta teve como objectivo o estudo das propriedades higrotérmicas de argamassas de terra, através do estudo da sua condutibilidade térmica, da permeabilidade ao vapor de água e da capacidade higroscópica (a nível de adsorção mas também de desadsorção). Para tal formularam-se diversas argamassas com base numa mesma terra argilosa destorroada, proveniente do barrocal algarvio, e com diferentes misturas de areias siliciosas. Todas as argamassas foram formuladas ao traço volumétrico 1:3 de terra e areia, respectivamente. Compararam-se com duas argamassas pré-doseadas produzidas com terra da mesma região produzidas com equipamento de laboratório e de obra. Os resultados obtidos com as diversas argamassas são apresentados e discutidos, comparando sempre que possível com outros estudos e salientando-se particularmente os bons resultados apresentados em relação à higroscopicidade das argamassas estudadas. Essa capacidade deve-se às características da argila, que constitui o aglutinante das argamassas que constituem estes rebocos, e aparenta não ser muito influenciada pela granulometria das areias utilizadas, nem pela existência de baixa percentagem de fibras. Esta situação permite considerar argamassas com este tipo de terra como potencialmente adequadas para contribuírem para a regulação higrométrica dos espaços interiores, nomeadamente na reabilitação de edifícios existentes.

M3 - Conference contribution

SN - 978-972-752-177-7

SP - 177

EP - 182

BT - PATORREB – Conferência sobre Patologia e Reabilitação de Edifícios

ER -

Faria P. Argamassas de terra. Comportamento higrotérmico função da granulometria da areia. In PATORREB – Conferência sobre Patologia e Reabilitação de Edifícios. 2015. p. 177-182