Aprendizagem ao longo da vida: entre a novidade e a reprodução de velhas desigualdades

Research output: Contribution to journalArticle

Abstract

} A apologia da aprendizagem ao longo da vida, designadamente ao nível dos discursos políticos da Comissão Europeia, parece traduzir a crença de que se trata de uma nova orientação estratégica que permitirá solucionar muitos dos velhos problemas que se vêm colocando aos sistemas de educação e formação. Neste artigo, pretende-se debater em que medida a aprendizagem ao longo da vida corresponde, de facto, a uma novidade no campo educativo. Para tal consideramos, de modo articulado, três dimensões de análise: discutimos os sentidos e significados que lhe são atribuídos, reflectimos sobre as eventuais alterações que introduz, por um lado, nas orientações estratégicas subjacentes às políticas educativas e, por outro lado, nos processos de educação e formação. Procura-se, também, indagar de que modo a promoção de dinâmicas de aprendizagem ao longo da vida permite atenuar (ou não) as desigualdades que têm marcado o desenvolvimento dos sistemas educativos.
Original languagePortuguese
Pages (from-to)7-28
Number of pages21
JournalRevista Portuguesa de Educação
Volume23
Issue number1
Publication statusPublished - 1 Jan 2010

Keywords

  • Políticas Educativas Europeias
  • Desigualdades
  • Aprendizagem

Cite this