Apontamentos sobre a génese da cobertura gráfica da atualidade em Portugal: da xilogravura ao fotojornalismo (1835-1914)

Research output: Chapter in Book/Report/Conference proceedingChapter

3 Downloads (Pure)

Abstract

Este estudo, alicerçado em pesquisa documental e análise histórico- cultural do discurso, debruça-se sobre a origem e desenvolvimento das revistas ilustradas em Portugal, entre 1835 e 1914, e sobre a adoção da gravura de madeira, primeiro, e da fotografia, depois, como meios preferidos para a adição de informação visual ao texto verbal na imprensa. Sugere-se, face aos dados obtidos, que a adoção da fotografia pela imprensa portuguesa foi gradual, verificando-se a partir da última década do século XIX, e que a opção pela fotografia resultou, primordialmente, de razões práticas: em comparação com as gravuras, ou mesmo com o desenho fotogravado, a fotografia poupava tempo e dinheiro. A fotografia tinha, também, uma outra vantagem, quando comparada à gravura e ao desenho: maior iconicidade. Realça-se,
ainda, que a adoção da fotografia gerou o aparecimento de uma nova especialidade no jornalismo, o fotojornalismo, e dos seus intérpretes, os fotojornalistas.
Original languagePortuguese
Title of host publicationPara uma história do jornalismo em Portugal
EditorsCarla Baptista, Jorge Pedro Sousa
Place of PublicationLisboa
PublisherICNOVA – Instituto de Comunicação da Nova
Pages315-344
Number of pages30
ISBN (Electronic)978-989-54285-9-5
ISBN (Print)978-989-54285-8-8
Publication statusPublished - 2020

Publication series

NameColecção Livros

Keywords

  • Revistas ilustradas
  • Portugal
  • Gravura de madeira
  • Fotografia
  • Séculos XIX e XX

Cite this