Administrar para manter o regime: O Estado Novo e a reforma da Administração Pública

Research output: Chapter in Book/Report/Conference proceedingConference contribution

3 Downloads (Pure)

Abstract

A consciência sobre a necessidade de reformar a Administração Pública esteve presente durante todo o Estado Novo. Desde os anos finais da década de 1920 surgem referências à importância do aumento do nível de eficiência da Administração Pública e da melhoria da sua capacidade de resposta aos desafios da época. Se numa primeira fase as preocupações com a eficiência administrativa se prendem com o processo de institucionalização do Estado Novo, a II Guerra Mundial vem incluir novas parcelas na equação. O Programa de Assistência Técnica e Produtividade e os planos nacionais de fomento exigem diligências que a administração central não se encontrava preparada para desempenhar.Da mesma forma, a nível internacional, o Estado adquire novas prerrogativas, sendo desafiado a promover o desenvolvimento económico e social. Portugal entra, igualmente, nesta lógica desenvolvimentista que exige uma administração célere e eficaz, que possa garantir a promoção do fomento económico, o apoio aos privados neste mesmo processo e o crescimento do Estado social.Enredada de tal forma nas necessidades e prioridades do regime, a reforma da Administração Pública passaria a ser encarada como um elemento necessário à sua manutenção. Por esse motivo, a década de 1960 testemunharia a constituição de grupos de trabalho, a realização de estudos, a organização de ações de formação e um aumento dos contactos internacionais ao nível da modernização administrativa. Como elemento aglutinador e coordenador seria criado, em 1967, o Secretariado da Reforma Administrativa que teria, contudo, uma vida relativamente curta. Este artigo pretende refletir sobre o modo como a reforma da Administração Pública portuguesa se integra na necessidade de melhorar a eficácia de um Estado cada vez mais complexo e dotado de novas prerrogativas. Pretende, igualmente, evidenciar a forma como esta se apresentou como um elemento essencial para a manutenção do regime e das Províncias Ultramarinas.
Original languagePortuguese
Title of host publicationConstrução do Estado, Movimentos Sociais e Economia Política
EditorsJoana Dias Pereira, Ana Sofia Ferreira, Manuel Loff
Place of PublicationLisboa
PublisherInstituto de História Contemporânea
Chapter6
Pages73-82
Number of pages10
ISBN (Electronic)978-989-8956-21-7
DOIs
Publication statusPublished - 2021
EventConferência Internacional "Construção do Estado, Economia Política e Movimentos Sociais" - Colégio Almada Negreiros, NOVA FCSH, Lisboa, Portugal
Duration: 5 Dec 20196 Dec 2019

Publication series

NameColecção E-IHC
Number1/2020

Conference

ConferenceConferência Internacional "Construção do Estado, Economia Política e Movimentos Sociais"
CountryPortugal
CityLisboa
Period5/12/196/12/19

Keywords

  • Portugal
  • Estado Novo (1933-1974)
  • Reforma Administrativa

Cite this