A perspetiva evolucionista na ficção de Nuno Bragança

Research output: Chapter in Book/Report/Conference proceedingChapterpeer-review

3 Downloads (Pure)

Abstract

A ficção de Nuno Bragança tem subjacente uma visão do Homem e do Universo que assume claramente a perspectiva evolucionista, mantendo-se esta em pano de fundo, mas aflorando frequentemente à superfície do texto. Esta questão ganha um particular relevo pelo facto de o autor ser um católico progressista, podendo esta opção, por esse motivo, entrar em conflito com as directrizes da Igreja. Porém, ela é facilmente explicável se tivermos em conta a contemporaneidade do autor com as teorias do cientista e teólogo francês Teilhard de Chardin e do historiador Arnold J. Toynbee, ambos referidos e citados pelo autor.
A presença desta perspectiva manifesta-se nas frequentes referências à sequência evolutiva do Homem e do Universo, mas também no posicionamento e no questionamento dos narradores e personagens, que de várias formas articulam e equacionam a frase “Vindos donde, indo para onde?”.
Original languagePortuguese
Title of host publicationLiteratura e ciência
Subtitle of host publicationdiálogos multidisciplinares 2
EditorsIsabel Barros Dias, Gabriela Gândara Terenas, Margarida Esperança Pina, Margarida Santos Alpalhão, Maria de Fátima Nunes, Maria do Rosário Lupi Bello, Teresa Nobre de Carvalho
PublisherUniversidade Aberta
Pages67-79
Number of pages13
ISBN (Print)978-972-674-895-3
DOIs
Publication statusPublished - 2021

Publication series

NameCiência e cultura
Number11

Keywords

  • Nuno Bragança
  • Evolução
  • A Noite e o Riso
  • Directa
  • Square Tolstoi
  • Evolution

Cite this