A organização do espaço rural no tempo de D. Afonso Henriques: a morfologia do casal entre os textos e as materialidades

Research output: Chapter in Book/Report/Conference proceedingChapter

27 Downloads (Pure)

Abstract

Partindo de algumas considerações sobre o lugar das materialidades num discurso historiográfico construído especificamente a partir de fontes escritas, e sobre as possibilidades deste tipo de fontes para o estudo da cultura material, este artigo procura caracterizar as diversas realidades designadas pelo termo ‘casal’ nos documentos dos séculos X a XII relativos ao Entre-Douro-e-Lima. O “século de Afonso Henriques” assistiu à afirmação desta unidade como um dos elementos chave na organização do espaço agrário e do habitat rural minhotos, por força do processo de senhorialização. Marcou, por isso, a passagem de um tempo em que a palavra ‘casal’ se caracterizava ainda por uma grande abertura de sentido, podendo nomear realidades consideravelmente distintas no plano morfológico, para um outro tempo em que se assiste à crescente estabilização do seu significado, enquanto unidade familiar de povoamento e de exploração rural. Precisamente o sentido que os séculos finais da Idade Média, e desde logo as Inquirições Gerais da primeira metade do século XIII, viriam a fixar. A análise da morfologia do casal assume-se, assim, como uma verdadeira sondagem à organização do espaço rural neste território, e como um dos principais indicadores de um conjunto importante de mudanças introduzidas ao longo do século XII.
Original languagePortuguese
Title of host publicationNo Tempo de D. Afonso Henriques
Subtitle of host publicationReflexões sobre o primeiro século português
EditorsMário Jorge Barroca
Place of PublicationPorto
PublisherCentro de Investigação Transdisciplinar “Cultura, Espaço e Memória” (CITCEM) - Universidade do Porto
Pages195-227
Number of pages33
ISBN (Print)978-989-8351-75-3
Publication statusPublished - 2017

Keywords

  • História Rural
  • Paisagem
  • Povoamento
  • Minho
  • Alta Idade Média

Cite this