A metalinguagem da revisão de textos: Contributos para uma nomenclatura revisória em língua portuguesa

Research output: Contribution to conferenceAbstractpeer-review

3 Downloads (Pure)

Abstract

A presente proposta visa chamar a atenção para a instabilidade conceptual que atualmente caracteriza as práticas profissionais no domínio da revisão de textos. Partindo do princípio de que “toda a produção linguística depende da actividade em que se insere” (Coutinho, 2008, p. 20), é possível considerar que a falta de referencial teórico-empírico relativamente a uma determinada atividade favorece a ocorrência de indefinições e incoerências a nível linguístico. Em concreto, a não valorização da revisão de textos, para além de condicionar a própria atividade, parece potenciar a indefinição terminológica no que diz respeito às práticas vigentes. Estando a revisão de textos necessariamente sujeita aos condicionalismos inerentes ao contexto social de que faz parte, é curioso constatar que não existe consenso quanto ao uso do termo “revisão”, podendo o mesmo implicar um vasto conjunto de tarefas e ser utilizado em diversas áreas (ensino, imprensa, legendagem, tradução especializada, entre outros). Em Portugal, a invisibilidade da atividade de revisão contrasta atualmente com a multiplicidade de palavras e expressões utilizadas pelos profissionais do setor. No âmbito da investigação em curso, as leituras feitas (p. ex., Pym, 2011; Robert, 2008; Brunette, 2000), os cursos de formação frequentados, assim como os contactos estabelecidos com alguns revisores, permitiram reunir, até agora, mais de trinta termos em português, que remetem para a prática da revisão, mas que nem sempre são usados de modo coerente. Por um lado, foi possível identificar termos que, apesar de se referirem a procedimentos distintos, são, muitas vezes, utilizados como sinónimos; por outro lado, verificou-se igualmente a existência de conceitos diferentes, que se referem às mesmas operações. Esta diversidade não é de todo exclusiva da língua portuguesa, já que também em inglês coexistem várias designações para realidades afins (cf. Mossop, 2014), às quais também se fará referência. Em prol do rigor terminológico e científico, que é expectável e desejável apresentar num projeto de doutoramento, a definição conceptual é uma etapa primordial do percurso que se pretende desenvolver. Neste sentido, a presente proposta visa elencar os vários termos já registados, numa tentativa de os categorizar, distinguindo-os ou agrupando-os, de acordo com os critérios que serão apresentados neste breve estudo. Tais critérios baseiam-se essencialmente numa abordagem descendente (cf. Voloshinov, 1990 [1929]) dos procedimentos referenciados, tendo em conta o quadro teórico e metodológico do interacionismo sociodiscursivo (cf. Bronckart, 1999). Em suma, pretende-se demonstrar que a reflexão sobre as práticas revisórias pode contribuir para uma melhor compreensão das formas linguísticas que as designam, sobretudo ao perspetivar a revisão de textos como uma atividade social e de linguagem. Trata-se, naturalmente, de um trabalho inacabado, sujeito a atualizações, mas que se afigura relevante, tendo em conta as definições circulares constantes dos documentos normativos que visam regular a atividade de revisão, designadamente a versão portuguesa da Norma Europeia EN 15038 (cf. IPQ, 2012).
Original languagePortuguese
Pages24-25
Number of pages2
Publication statusPublished - 2016
EventXI Fórum de Partilha Linguística - Lisboa - FCSH
Duration: 25 Nov 2016 → …

Conference

ConferenceXI Fórum de Partilha Linguística
Period25/11/16 → …

Keywords

  • análise linguística
  • definição conceptual
  • interacionismo sociodiscursivo
  • revisão de textos

Cite this