Abstract

A linha do Tua esteve em operação por mais de 120 anos no caso do troço entre Foz-Tua e Mirandela e por pouco menos de 90 na secção de Mirandela a Bragança. a exploração deste caminho-de-ferro foi marcada por diversas alterações e mudanças, ao nível do material circulante, das instalações fixas e até da própria gestão - em meados do século XX a linha deixa de ser gerida pela Companhia Nacional e passa para as mãos da CP.

O seu impacto foi também marcante, a nível económico, demográfico, urbanístico, paisagístico e cultural. Apesar de tudo isto, a linha do Tua entrou em decadência em consequência das suas próprias características, da falta de investimento e, acima de tudo, da evolução do sistema de mobilidade rodoviária da região.

A consequência mais imediata e sonante foi o encerramento da linha de Bragança em 1992. Em 2008, após vários acidentes na via, a operação é reduzida para as estações em torno de Mirandela, exploradas pelo serviço de metropolitano local, promovido pela autarquia de Mirandela.

Pelo meio ficaram as expectativas de outra conexão à rede ferroviária nacional, pela ligação de Foz-Tua a Viseu, que chegou a ser projectada e adjudicada nos anos trinta do século XX, mas que nunca chegou a ser construída, gorando-se uma oportunidade sistémica que porventura poderia ter tido impacto na geografia regional das Beiras e Trás-os-Montes.
Original languagePortuguese
PublisherAfrontamento
Number of pages546
ISBN (Print)9789723615463
Publication statusPublished - Feb 2017

Cite this