A Linguística Cognitiva e o Mito da Linguagem como Instinto

Research output: Chapter in Book/Report/Conference proceedingChapter

8 Downloads (Pure)

Abstract

De entre todos os mitos linguísticos com que lidamos no dia-a-dia (cf. Bauer & Trudgill, 1998), o do mito da Linguagem como Instinto, inerente à tese chomskiana da Linguagem e da respectiva Gramática Universal (cf. Chomsky, 1986; Pinker, 1994), é considerado pela Linguística Cognitiva como o maior mito linguístico de sempre, tal como demonstrado por Evans (2014). No presente artigo, partimos da argumentação utilizada por Evans para refutar este mito, propondo, a seguir, uma reflexão teórica que foca a caracterização da Linguística Cognitiva na qualidade de uma abordagem englobante e plural quer do estudo da Linguagem baseada no uso quer da interacção entre Linguagem e a Cognição.

Of all the linguistic myths used in our everyday language practice (cf. Bauer & Trudgill, 1998), the myth of the Chomsky’s thesis of Language Instinct rooted in the postulate of Universal Grammar (cf. Chomsky, 1986; Pinker, 1994) is considered by Cognitive Linguistics as the most outstanding myth of all times. We focus our attention on the discussion of this myth proposed and developed by Evans (2014), parting from this anchorage towards the characterisation of Cognitive Linguistics as a global and plural study of Language-in-use resulting from interaction of Language and Cognition.
Original languagePortuguese
Title of host publicationLinguagem – Cognição – Cultura
Subtitle of host publicationTeorias, aplicações e diálogos com foco na Língua Portuguesa (Português Europeu e Português do Brasil)
EditorsHanna Batoréo
Place of PublicationLisboa
PublisherUniversidade Aberta
Pages27-45
Number of pages18
ISBN (Electronic)978-972-674-922-6
DOIs
Publication statusPublished - 2022

Publication series

NameCiência e Cultura
PublisherUniversidade Aberta
Volume17

Keywords

  • Linguística Cognitiva
  • Linguagem e Cognição
  • Mitos linguísticos
  • Linguagem como Instinto
  • Mito da Linguagem como Instinto
  • Linguagem-em-uso
  • Cognitive Linguistics
  • Language and Cognition
  • Linguistic myths
  • Language Instinct
  • the Myth of Language Instinct
  • Language-in-use

Cite this