A instituição da almotaçaria: o controlo da atividade construtiva e as singularidades de Lisboa em finais da Idade Média

Research output: Chapter in Book/Report/Conference proceedingChapterpeer-review

277 Downloads (Pure)

Abstract

Neste artigo analisa-se uma importante instituição concelhia portuguesa: a almotaçaria. Explica-se a sua origem, estrutura e funcionamento. Salienta-se que umas das competências do almotacé, enquanto oficial específico desta instituição, foi o controlo do construtivo, para além do mercado e do sanitário. Utilizando maioritariamente fontes históricas escritas, apresentam-se as normas de construção medievais, focando em particular o regulamento de Lisboa, compilado em 1444, e estabelecem-se afinidades com outros diplomas jurídicos. Identificam-se as várias transformações ocorridas na estrutura da instituição da almotaçaria de Lisboa, em finais da Idade Média, as quais, comparadas com as de outras vilas e cidades do reino, permitem perceber a sua singularidade
Original languagePortuguese
Title of host publicationLisboa Medieval
Subtitle of host publicationGentes, Espaços e Poderes
EditorsJoão Luís Inglês Fontes, Luís Filipe Oliveira, Catarina Tente, Mário Farelo, Miguel Gomes Martins
Place of PublicationLisboa
PublisherIEM – Instituto de Estudos Medievais
Pages287-312
Number of pages26
ISBN (Print)978-989-99567-4-2
Publication statusPublished - 2016

Publication series

NameEstudos
PublisherIEM
Volume15

Keywords

  • Controlo do construtivo
  • Normas de construção
  • Almotaçaria
  • Lisboa
  • Idade Média

Cite this