“A incestuosa relação entre o romance e o cinema”: o caso de Amor de Perdição

Research output: Contribution to conferenceAbstract

Abstract

O romance Amor de Perdição (1862), de Camilo Castelo Branco esteve na génese de quatro adaptações cinematográficas nos anos 1921, 1943, 1979 e 2008, realizadas por Georges Pallu, António Lopes Ribeiro, Manoel de Oliveira e Mário Barroso, respectivamente. A mesma narrativa é adaptada às perspectivas de cada realizador, correspondendo, ainda assim, aos alicerces da obra literária. Por seu turno, a linguagem desenvolvida por cada compositor – Armando Leça, Jaime Silva Filho, João Paes e Bernardo Sassetti, respectivamente – é conceptualmente distinta. Surge, então, a necessidade de questionar as transformações a que a componente sonora é sujeita às mãos dos compositores e o impacto recíproco entre a estética dos mesmos e o contexto histórico-social em que se inserem. Partindo de uma perspectiva histórica acerca dos quatro projectos cinematográficos, confrontamo-nos com estéticas musicais que tanto reflectem as correntes artísticas vigentes, como se mostram mais conservadoras em relação ao contexto contemporâneo a cada um dos filmes.
Original languagePortuguese
Pagess.p
Publication statusPublished - 2016
EventIII Encuentro Iberoamericano de Jóvenes Musicólogos - Sevilha, Spain
Duration: 10 Mar 201611 Mar 2016
http://www.musicologiacriativa.com/

Conference

ConferenceIII Encuentro Iberoamericano de Jóvenes Musicólogos
CountrySpain
CitySevilha
Period10/03/1611/03/16
Internet address

Keywords

  • Amor de Perdição
  • Música
  • Cinema português
  • Estética

Cite this

Cruz, F., & Carvalho, B. (2016). “A incestuosa relação entre o romance e o cinema”: o caso de Amor de Perdição. s.p. Abstract from III Encuentro Iberoamericano de Jóvenes Musicólogos, Sevilha, Spain.