A História Social da Imprensa de José Marques de Melo: um contributo notável e disruptor à história da imprensa lusófona

Research output: Contribution to journalArticle

6 Downloads (Pure)

Abstract

Demonstrar-se-á, neste artigo, o carácter disruptivo da tese de doutoramento de José Marques de Melo, defendida, em 1972, na Universidade de São Paulo. A tese foi interpretada tendo por base a hermenêutica cultural não crítica, que visa a compreensão das ações humanas e seus resultados. Complementarmente,
procedeu-se a uma análise de conteúdo, para apuramento de dados ibliométricos. Sustenta-se que essa primeira tese doutoral que se reivindicou do campo do Jornalismo no Brasil e no Mundo Lusófono assinalou – e, de certa maneira, iniciou – a luta pela afirmação da Comunicação e do Jornalismo como
campos científicos na Lusofonia. Abalou as ideias feitas sobre a história da imprensa e, consequentemente, sobre a história do jornalismo no Brasil, no período colonial, já que nela se defende, a partir de uma interpretação funcionalista, que o aparecimento da imprensa no Brasil ocorreu tardiamente
não por ação direta e intencional da governação portuguesa mas sim porque não fazia falta à sociedade brasileira de então.
Original languagePortuguese
Pages (from-to)2-27
Number of pages25
JournalRevista Brasileira de História da Mídia (RBHM).
Volume7
Issue number2
Publication statusPublished - 2018

Keywords

  • História da Mídia
  • História da Comunicação
  • História do Jornalismo

Cite this

@article{fcc660cce86944aa81ec9192ab553328,
title = "A Hist{\'o}ria Social da Imprensa de Jos{\'e} Marques de Melo: um contributo not{\'a}vel e disruptor {\`a} hist{\'o}ria da imprensa lus{\'o}fona",
abstract = "Demonstrar-se-{\'a}, neste artigo, o car{\'a}cter disruptivo da tese de doutoramento de Jos{\'e} Marques de Melo, defendida, em 1972, na Universidade de S{\~a}o Paulo. A tese foi interpretada tendo por base a hermen{\^e}utica cultural n{\~a}o cr{\'i}tica, que visa a compreens{\~a}o das a{\cc}{\~o}es humanas e seus resultados. Complementarmente,procedeu-se a uma an{\'a}lise de conte{\'u}do, para apuramento de dados ibliom{\'e}tricos. Sustenta-se que essa primeira tese doutoral que se reivindicou do campo do Jornalismo no Brasil e no Mundo Lus{\'o}fono assinalou – e, de certa maneira, iniciou – a luta pela afirma{\cc}{\~a}o da Comunica{\cc}{\~a}o e do Jornalismo comocampos cient{\'i}ficos na Lusofonia. Abalou as ideias feitas sobre a hist{\'o}ria da imprensa e, consequentemente, sobre a hist{\'o}ria do jornalismo no Brasil, no per{\'i}odo colonial, j{\'a} que nela se defende, a partir de uma interpreta{\cc}{\~a}o funcionalista, que o aparecimento da imprensa no Brasil ocorreu tardiamenten{\~a}o por a{\cc}{\~a}o direta e intencional da governa{\cc}{\~a}o portuguesa mas sim porque n{\~a}o fazia falta {\`a} sociedade brasileira de ent{\~a}o.",
keywords = "Hist{\'o}ria da M{\'i}dia, Hist{\'o}ria da Comunica{\cc}{\~a}o, Hist{\'o}ria do Jornalismo",
author = "Sousa, {Jorge Pedro Almeida}",
year = "2018",
language = "Portuguese",
volume = "7",
pages = "2--27",
journal = "Revista Brasileira de Hist{\'o}ria da M{\'i}dia (RBHM).",
issn = "2238-5126",
number = "2",

}

TY - JOUR

T1 - A História Social da Imprensa de José Marques de Melo

T2 - um contributo notável e disruptor à história da imprensa lusófona

AU - Sousa, Jorge Pedro Almeida

PY - 2018

Y1 - 2018

N2 - Demonstrar-se-á, neste artigo, o carácter disruptivo da tese de doutoramento de José Marques de Melo, defendida, em 1972, na Universidade de São Paulo. A tese foi interpretada tendo por base a hermenêutica cultural não crítica, que visa a compreensão das ações humanas e seus resultados. Complementarmente,procedeu-se a uma análise de conteúdo, para apuramento de dados ibliométricos. Sustenta-se que essa primeira tese doutoral que se reivindicou do campo do Jornalismo no Brasil e no Mundo Lusófono assinalou – e, de certa maneira, iniciou – a luta pela afirmação da Comunicação e do Jornalismo comocampos científicos na Lusofonia. Abalou as ideias feitas sobre a história da imprensa e, consequentemente, sobre a história do jornalismo no Brasil, no período colonial, já que nela se defende, a partir de uma interpretação funcionalista, que o aparecimento da imprensa no Brasil ocorreu tardiamentenão por ação direta e intencional da governação portuguesa mas sim porque não fazia falta à sociedade brasileira de então.

AB - Demonstrar-se-á, neste artigo, o carácter disruptivo da tese de doutoramento de José Marques de Melo, defendida, em 1972, na Universidade de São Paulo. A tese foi interpretada tendo por base a hermenêutica cultural não crítica, que visa a compreensão das ações humanas e seus resultados. Complementarmente,procedeu-se a uma análise de conteúdo, para apuramento de dados ibliométricos. Sustenta-se que essa primeira tese doutoral que se reivindicou do campo do Jornalismo no Brasil e no Mundo Lusófono assinalou – e, de certa maneira, iniciou – a luta pela afirmação da Comunicação e do Jornalismo comocampos científicos na Lusofonia. Abalou as ideias feitas sobre a história da imprensa e, consequentemente, sobre a história do jornalismo no Brasil, no período colonial, já que nela se defende, a partir de uma interpretação funcionalista, que o aparecimento da imprensa no Brasil ocorreu tardiamentenão por ação direta e intencional da governação portuguesa mas sim porque não fazia falta à sociedade brasileira de então.

KW - História da Mídia

KW - História da Comunicação

KW - História do Jornalismo

M3 - Article

VL - 7

SP - 2

EP - 27

JO - Revista Brasileira de História da Mídia (RBHM).

JF - Revista Brasileira de História da Mídia (RBHM).

SN - 2238-5126

IS - 2

ER -