A globalização da crise: contextos regionais e a questão do populismo mediático

Research output: Chapter in Book/Report/Conference proceedingChapter

Abstract

A compreensão da nossa sociedade não é possível sem termos como pano de fundo o contexto da globalização. A ideia popularizou-se inicialmente nos anos 1980, na área dos negócios e das finanças, e chegou, na década seguinte, à academia, onde se estendeu a todas as áreas das Ciências Sociais. Utilizou-se a palavra para descrever um conjunto de mudanças em áreas de atividade social como a política, a economia, as finanças, a justiça, os media ou a ecologia, adquirindo, também, valor de teoria explicativa e interpretativa desses mesmos fenómenos. O percurso da palavra globalização, tornada conceito, pôs em questão fundamentos da Teoria Social clássica e expandiu-se, dando origem à Teoria da Globalização, ou seja, a um conjunto de postulados, pressupostos e conceitos capazes de interpretar fenómenos sociais complexos e geograficamente dispersos.
Original languagePortuguese
Title of host publicationPós-Tudo e Crise da Democracia
EditorsMaria Cristina Castilho Costa, Patrícia Blanco
Place of PublicationSão Paulo
PublisherUniversidade de São Paulo
Pages61-78
Number of pages17
ISBN (Electronic)978-85-7205-209-2
ISBN (Print)978-85-67989-05-1
Publication statusPublished - 2018

Cite this

Cunha, I. M. R. F. (2018). A globalização da crise: contextos regionais e a questão do populismo mediático. In M. C. C. Costa, & P. Blanco (Eds.), Pós-Tudo e Crise da Democracia (pp. 61-78). São Paulo: Universidade de São Paulo.