A emergência do mar e os modelos de governança das áreas costeiras

Research output: Chapter in Book/Report/Conference proceedingChapter

Abstract

O meio marinho caracteriza-se pela imensidão, ocupando 71% da superfície terrestre e 99% do espaço da biosfera. Simultaneamente, uma parte significativa da população terrestre (40%) vive numa estreita faixa de terreno, que é contígua aos meios marinhos (cerca de 2,8 mil milhões de pessoas vivem a 100 km da costa). Portugal, em função do seu posicionamento geográfico é um país de pendente, claramente marinha (cerca de 1,7 milhões de km2 de ZEE), mas também um país com uma extensa e ocupada zona costeira, daí decorrendo diversos conflitos relacionados com a ocupação de um espaço que apresenta limitações diversas. O progressivo esgotamento e encarecimento de recursos alimentares, minerais, energéticos ou outros, nas áreas emersas, estimulam um interesse crescente pelo mar, que se vem traduzindo em transformações nas áreas marinhas e nas faixas costeiras, transformações mais ou menos conflituantes com os usos e recursos presentes, e que sugerem novas abordagens e modelos de governança diferentes.
Original languageUnknown
Title of host publicationIX Congresso da Geografia Portuguesa – Geografia
EditorsTeresa Pinto Correia, Virgínia Henriques E Rui Pedro Julião
Place of PublicationLisboa
PublisherAssociação POrtuguesa de Geógrafos
Pages753-758
ISBN (Print)978-972-99436-6-9
Publication statusPublished - 1 Jan 2013

Publication series

NameGeografia: Espaço, Natureza, Sociedade e Ciência
PublisherAssociação Portuguesa de Geógrafos

Cite this

Leitão, N. M. P. (2013). A emergência do mar e os modelos de governança das áreas costeiras. In T. P. Correia, & V. H. E. R. P. Julião (Eds.), IX Congresso da Geografia Portuguesa – Geografia (pp. 753-758). (Geografia: Espaço, Natureza, Sociedade e Ciência). Lisboa: Associação POrtuguesa de Geógrafos.