A documentação de coleções de fita magnética: o caso de Constança Capdeville

Research output: Contribution to conferencePaper

Abstract

Em Portugal, nos anos 40, a fita magnética analógica é implementada como meio de gravação e armazenamento sonoro. A quantidade de acervos de fita magnética que documenta momentos históricos, políticos, artísticos e sociais é extensa. Este suporte é instável e necessita de cuidados específicos de preservação. O presente artigo procura refletir sobre as metodologias de documentação usadas na preservação da fita magnética com base na coleção de Constança Capdeville, uma figura extremamente relevante da música contemporânea portuguesa a partir da segunda metade do século XX. A maioria das suas composições compreende performances ao vivo com instrumentos acústicos e gravações em suporte magnético. Na ausência dessas fitas e de outra documentação complementar, torna-se difícil a performance destas obras. Este artigo é a primeira abordagem científica, técnica e musicológica às obras de música mista, com registo áudio em fita a magnética, e visa evidenciar uma lacuna relativamente à preservação do nosso património sonoro.
Original languagePortuguese
Publication statusPublished - 2016
EventIII Encuentro Iberoamericano de Jóvenes Musicólogos - Sevilha, Spain
Duration: 10 Mar 201611 Mar 2016
http://www.musicologiacriativa.com/

Conference

ConferenceIII Encuentro Iberoamericano de Jóvenes Musicólogos
CountrySpain
CitySevilha
Period10/03/1611/03/16
Internet address

Keywords

  • documentação
  • digitalização
  • preservação
  • Constança Capdeville

Cite this

Magalhães, A. F. G. (2016). A documentação de coleções de fita magnética: o caso de Constança Capdeville. Paper presented at III Encuentro Iberoamericano de Jóvenes Musicólogos, Sevilha, Spain.