'A [Des]favor dos mutilados da guerra’

a situação no pós-guerra

Joana Ribeiro, Helena da Silva

Research output: Chapter in Book/Report/Conference proceedingConference contribution

17 Downloads (Pure)

Abstract

Entre os serviços organizados para assistir os portugueses mutilados e estropiados no contexto da Primeira Guerra Mundial destacam-se o Instituto Médico-Pedagógico de Santa Isabel (Casa Pia de Lisboa) e o Instituto de Reeducação dos Mutilados da Guerra de Arroios. Segundo a imprensa da época, a imagem de ambos foi bipolar. Por um lado, os médicos que neles desempenhavam funções publicavam os mais favoráveis relatos do seu funcionamento e da evolução dos mutilados. E, por outro, estes últimos davam conta de uma série de questões que desmitificavam todo o discurso positivo em torno da acção destes institutos em prol dos mutilados da guerra. Recordaremos alguns dados sobre a criação e desenvolvimento destes institutos, nos quais se destacaram figuras como o Dr. Costa Ferreira, o Dr. Tovar de Lemos e ainda o Dr. José Pontes. Nesta análise tentaremos dar a conhecer os dois pontos de vista antagónicos sobre os institutos referidos, partindo das notícias publicadas em vários periódicos e relatos da época.
Original languagePortuguese
Title of host publicationActas do XXVI Colóquio de História Militar “Portugal 1916-1918. Da Guerra à Paz”
EditorsJorge Silva Rocha
Place of PublicationLisboa
PublisherComissão Portuguesa de História Militar
Pages435-455
Number of pages20
ISBN (Print)978-989-8593-16-0
Publication statusPublished - Nov 2018
EventColóquio de História Militar “Portugal 1916-1918. Da Guerra à Paz” - Lisboa, Portugal
Duration: 6 Nov 201710 Nov 2017

Conference

ConferenceColóquio de História Militar “Portugal 1916-1918. Da Guerra à Paz”
CountryPortugal
CityLisboa
Period6/11/1710/11/17

Keywords

  • Primeira Guerra Mundial
  • Mutilados portugueses
  • Imprensa
  • Reeducação dos mutilados

Cite this

Ribeiro, J., & Silva, H. D. (2018). 'A [Des]favor dos mutilados da guerra’: a situação no pós-guerra. In J. Silva Rocha (Ed.), Actas do XXVI Colóquio de História Militar “Portugal 1916-1918. Da Guerra à Paz” (pp. 435-455). Lisboa: Comissão Portuguesa de História Militar.
Ribeiro, Joana ; Silva, Helena da. / 'A [Des]favor dos mutilados da guerra’ : a situação no pós-guerra. Actas do XXVI Colóquio de História Militar “Portugal 1916-1918. Da Guerra à Paz”. editor / Jorge Silva Rocha. Lisboa : Comissão Portuguesa de História Militar, 2018. pp. 435-455
@inproceedings{ed8403d10eaa4590be603a3030552cb0,
title = "'A [Des]favor dos mutilados da guerra’: a situa{\cc}{\~a}o no p{\'o}s-guerra",
abstract = "Entre os servi{\cc}os organizados para assistir os portugueses mutilados e estropiados no contexto da Primeira Guerra Mundial destacam-se o Instituto M{\'e}dico-Pedag{\'o}gico de Santa Isabel (Casa Pia de Lisboa) e o Instituto de Reeduca{\cc}{\~a}o dos Mutilados da Guerra de Arroios. Segundo a imprensa da {\'e}poca, a imagem de ambos foi bipolar. Por um lado, os m{\'e}dicos que neles desempenhavam fun{\cc}{\~o}es publicavam os mais favor{\'a}veis relatos do seu funcionamento e da evolu{\cc}{\~a}o dos mutilados. E, por outro, estes {\'u}ltimos davam conta de uma s{\'e}rie de quest{\~o}es que desmitificavam todo o discurso positivo em torno da ac{\cc}{\~a}o destes institutos em prol dos mutilados da guerra. Recordaremos alguns dados sobre a cria{\cc}{\~a}o e desenvolvimento destes institutos, nos quais se destacaram figuras como o Dr. Costa Ferreira, o Dr. Tovar de Lemos e ainda o Dr. Jos{\'e} Pontes. Nesta an{\'a}lise tentaremos dar a conhecer os dois pontos de vista antag{\'o}nicos sobre os institutos referidos, partindo das not{\'i}cias publicadas em v{\'a}rios peri{\'o}dicos e relatos da {\'e}poca.",
keywords = "Primeira Guerra Mundial, Mutilados portugueses, Imprensa, Reeduca{\cc}{\~a}o dos mutilados",
author = "Joana Ribeiro and Silva, {Helena da}",
note = "info:eu-repo/grantAgreement/FCT/5876/147250/PT# UID/HIS/04209/2013",
year = "2018",
month = "11",
language = "Portuguese",
isbn = "978-989-8593-16-0",
pages = "435--455",
editor = "{Silva Rocha}, Jorge",
booktitle = "Actas do XXVI Col{\'o}quio de Hist{\'o}ria Militar “Portugal 1916-1918. Da Guerra {\`a} Paz”",
publisher = "Comiss{\~a}o Portuguesa de Hist{\'o}ria Militar",

}

Ribeiro, J & Silva, HD 2018, 'A [Des]favor dos mutilados da guerra’: a situação no pós-guerra. in J Silva Rocha (ed.), Actas do XXVI Colóquio de História Militar “Portugal 1916-1918. Da Guerra à Paz”. Comissão Portuguesa de História Militar, Lisboa, pp. 435-455, Colóquio de História Militar “Portugal 1916-1918. Da Guerra à Paz”, Lisboa, Portugal, 6/11/17.

'A [Des]favor dos mutilados da guerra’ : a situação no pós-guerra. / Ribeiro, Joana; Silva, Helena da.

Actas do XXVI Colóquio de História Militar “Portugal 1916-1918. Da Guerra à Paz”. ed. / Jorge Silva Rocha. Lisboa : Comissão Portuguesa de História Militar, 2018. p. 435-455.

Research output: Chapter in Book/Report/Conference proceedingConference contribution

TY - GEN

T1 - 'A [Des]favor dos mutilados da guerra’

T2 - a situação no pós-guerra

AU - Ribeiro, Joana

AU - Silva, Helena da

N1 - info:eu-repo/grantAgreement/FCT/5876/147250/PT# UID/HIS/04209/2013

PY - 2018/11

Y1 - 2018/11

N2 - Entre os serviços organizados para assistir os portugueses mutilados e estropiados no contexto da Primeira Guerra Mundial destacam-se o Instituto Médico-Pedagógico de Santa Isabel (Casa Pia de Lisboa) e o Instituto de Reeducação dos Mutilados da Guerra de Arroios. Segundo a imprensa da época, a imagem de ambos foi bipolar. Por um lado, os médicos que neles desempenhavam funções publicavam os mais favoráveis relatos do seu funcionamento e da evolução dos mutilados. E, por outro, estes últimos davam conta de uma série de questões que desmitificavam todo o discurso positivo em torno da acção destes institutos em prol dos mutilados da guerra. Recordaremos alguns dados sobre a criação e desenvolvimento destes institutos, nos quais se destacaram figuras como o Dr. Costa Ferreira, o Dr. Tovar de Lemos e ainda o Dr. José Pontes. Nesta análise tentaremos dar a conhecer os dois pontos de vista antagónicos sobre os institutos referidos, partindo das notícias publicadas em vários periódicos e relatos da época.

AB - Entre os serviços organizados para assistir os portugueses mutilados e estropiados no contexto da Primeira Guerra Mundial destacam-se o Instituto Médico-Pedagógico de Santa Isabel (Casa Pia de Lisboa) e o Instituto de Reeducação dos Mutilados da Guerra de Arroios. Segundo a imprensa da época, a imagem de ambos foi bipolar. Por um lado, os médicos que neles desempenhavam funções publicavam os mais favoráveis relatos do seu funcionamento e da evolução dos mutilados. E, por outro, estes últimos davam conta de uma série de questões que desmitificavam todo o discurso positivo em torno da acção destes institutos em prol dos mutilados da guerra. Recordaremos alguns dados sobre a criação e desenvolvimento destes institutos, nos quais se destacaram figuras como o Dr. Costa Ferreira, o Dr. Tovar de Lemos e ainda o Dr. José Pontes. Nesta análise tentaremos dar a conhecer os dois pontos de vista antagónicos sobre os institutos referidos, partindo das notícias publicadas em vários periódicos e relatos da época.

KW - Primeira Guerra Mundial

KW - Mutilados portugueses

KW - Imprensa

KW - Reeducação dos mutilados

M3 - Conference contribution

SN - 978-989-8593-16-0

SP - 435

EP - 455

BT - Actas do XXVI Colóquio de História Militar “Portugal 1916-1918. Da Guerra à Paz”

A2 - Silva Rocha, Jorge

PB - Comissão Portuguesa de História Militar

CY - Lisboa

ER -

Ribeiro J, Silva HD. 'A [Des]favor dos mutilados da guerra’: a situação no pós-guerra. In Silva Rocha J, editor, Actas do XXVI Colóquio de História Militar “Portugal 1916-1918. Da Guerra à Paz”. Lisboa: Comissão Portuguesa de História Militar. 2018. p. 435-455