A conceção de um imaginário musical em Flores de Musica de Manuel Rodrigues Coelho: a xilogravura de Santa Cecília

Research output: Chapter in Book/Report/Conference proceedingChapter

10 Downloads (Pure)

Abstract

Ao longo do século XVII, o domínio quase total da música religiosa em Portugal determinou o cultivo de uma coleção instrumental exclusivamente destinada ao serviço religioso. Assim, uma parte significativa do repertório musical impresso consistia em manuais de iniciação à polifonia, contraponto e também à prática organística, como é o caso de Flores de Musica pera instrumento de Tecla & Harpa, da autoria do Padre Manuel Rodrigues Coelho. Trata-se da primeira obra instrumental impressa em Portugal (1620), na oficina de Pedro Craesbeeck, em Lisboa. Focando-me no exemplar que se encontra na Biblioteca da Ajuda (cota: 38-XII-26) constata-se que as xilogravuras aí utilizadas constituem um aspeto fundamental para o enquadramento histórico-geográfico de Flores de Musica, onde o imaginário musical é desde logo introduzido por via de ilustrações visuais, particularmente a estampa alegórica onde é representada Santa Cecília tocando órgão (f. 6v), que antecipa o leitor para o conteúdo da obra.
Original languagePortuguese
Title of host publicationIconografia Musical
Subtitle of host publicationOrganologia, Constructores e Prática Musical em Diálogo
EditorsSónia Duarte, Luzia Rocha
Place of PublicationLisbon
PublisherNIM - Núcleo de Iconografia Musical / CESEM - Centro de Estudos de Sociologia e Estética Musical / FCSH UNL - Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade NOVA de Lisboa
Pages187-201
Number of pages14
Volume3
ISBN (Print)978-989-99975-7-8
Publication statusPublished - 2018

Keywords

  • Flores de Musica
  • Manuel Rodrigues Coelho
  • Santa Cecília
  • Xilogravura
  • Imprensa

Cite this