A comunidade chinesa em Portugal: uma outra face da lusofonia

    Research output: Chapter in Book/Report/Conference proceedingChapter

    Abstract

    A ideia de comunidade lusófona remete-nos geralmente para indivíduos de origem e etnia portuguesa e para países e territórios cuja ligação histórica com Portugal remonta a um passado mais ou menos distante. A língua portuguesa é nesses locais oficial, embora seja quase sempre utilizada com adaptações locais. São estes os “cidadãos lusófonos” em quem vulgarmente se pensa ao abordar temas relativos à lusofonia.
    Porém, se consultarmos a lei portuguesa, verificamos que independentemente da sua origem os imigrantes residentes em Portugal, bem como os seus filhos, podem, sob certas condições, adquirir a nacionalidade portuguesa, tornando-se assim igualmente membros da comunidade lusófona.
    Mas o que sabemos nós desses outros, que podem ser moldavos, russos ou chineses, que partilham connosco a lusofonia?
    Não podemos esperar que em troca da nacionalidade que lhes é dada, surja espontaneamente nessas pessoas um sentimento de portugalidade e de inserção numa comunidade de falantes de português. Para que isso aconteça, é necessário que, ao invés de indiferença, demonstremos interesse por eles e pela sua cultura, pois essa atitude de empatia pode fazer despertar um empenho intercultural reciproco, que facilitará a integração social dessas pessoas e enriquecerá culturalmente todas as partes envolvidas. Essa aproximação pode ser um importante fator de transformação desses cidadãos em verdadeiros membros da comunidade lusófona.
    São estes pressupostos que tornam importante conhecer alguns aspetos culturais desses outros portugueses, já que o conhecimento leva à compreensão e esta pode ser a melhor forma de combater a exclusão e o preconceito. Entre esse grupo originário de países não lusófonos estão os chineses, cuja cultura é em muitos aspetos desconhecida em Portugal. Esse desconhecimento justifica que dela se fale, sobretudo no que toca aos aspetos relacionados com as mulheres, já que são elas através da maternidade e da educação dos filhos pequenos, as mais envolvidas na transmissão cultural.
    Pretende-se assim contribuir para um maior conhecimento de um povo que através do seu exotismo cultural, enriquece a sociedade portuguesa e a comunidade lusófona.
    Original languagePortuguese
    Title of host publicationSemióticas da Comunicação Intercultural
    Subtitle of host publicationda teoria às práticas
    EditorsClara Sarmento
    Place of PublicationLisboa
    PublisherEdições Afrontamento
    Pages81-87
    Number of pages7
    ISBN (Print)9789723614411
    Publication statusPublished - 2015

    Keywords

    • Comunidade lusófona
    • Imigrantes
    • Diversidade cultural
    • Integração social

    Cite this