A Associação Portuguesa para o Progresso das Ciências (1917-1974): um resgate de sua trajetória histórica

Research output: Contribution to journalArticlepeer-review

21 Downloads (Pure)

Abstract

A Associação Portuguesa para o Progresso das Ciências (APPC), criada em 1917 por iniciativa de Francisco da Costa Lobo, professor na Universidade de Coimbra, e com o apoio do astrônomo catalão Ricardo Cirera, foi diretamente inspirada pela Associação Espanhola para o Progresso das Ciências. A associação espanhola tinha sido constituída em 1908, organizando desde logo congressos bienais que reuniam diversos domínios científicos, por sua vez enquadrados em seções, procurando, desse modo, congregar as diversas áreas e promover a divulgação e o desenvolvimento do conhecimento científico. Através da nova associação portuguesa, seria então formalizada a participação de Portugal nos congressos da associação espanhola, dando lugar, a partir de 1921, à organização de encontros conjuntos – os “Congressos Luso-Espanhóis para o Progresso das Ciências” – cuja atividade se estenderia até os anos 1970. É o resgate da trajetória dessa instituição – encarada de forma integrada e global e interpretada no contexto da história geral das relações luso-espanholas – que pretendemos abordar neste estudo de caráter histórico e historiográfico.
Original languagePortuguese
Pages (from-to)1-28
Number of pages28
JournalEstudos Ibero-Americanos
Volume49
Issue number1
DOIs
Publication statusPublished - Dec 2023

Keywords

  • ssociação Portuguesa para o Progresso das Ciências
  • Instituições Científicas
  • Sociedades Científicas
  • Políticas Científicas
  • Relações Luso-Espanholas
  • Diplomacia Científica
  • História da Ciência

Cite this