Ásias a rir

o Oriente desenhado pelo humor entre os séculos XIX e XX

Research output: Contribution to journalArticle

Abstract

Trajes, chás, leques, lanternas, porcelanas, sedas, molduras de bambu, peixes
chineses que falam, bizantinices… A partir de uma selecção de desenho humorístico, que neste ensaio se sintetiza, contemplam-se as duas séries d’O Antonio Maria (1879-1885 e 1891-1898), dos Pontos nos ii (1885-1891), d’A Parodia (1900-1902) e da Parodia : Comedia Portugueza (1903-1906). Procurei identificar determinadas personagens, observar que Orientes foram representados e ordená-los numa geografia nem sempre possível, pois o exotismo muitas vezes se adensou numa amálgama de latitudes e estéticas. Uma brevíssima nota sobre algumas fantasias orientais na cerâmica, conclui este artigo. O olhar ocidental e os traços destas ficções pertencem a Rafael Bordalo Pinheiro (Lisboa, 1846- Lisboa, 1905)1 e Manuel Gustavo Bordalo Pinheiro (Lisboa, 1867- Caldas da Rainha, 1920)2 que garantem as Ásias a rir.
Original languagePortuguese
Pages (from-to)1-35
Number of pages35
JournalCarnet de l'École Doctoral Histoire del'Art et Archeologie
Issue number124
Publication statusPublished - 2018

Cite this

@article{135f719832bc43699adc01aac53f1b58,
title = "{\'A}sias a rir: o Oriente desenhado pelo humor entre os s{\'e}culos XIX e XX",
abstract = "Trajes, ch{\'a}s, leques, lanternas, porcelanas, sedas, molduras de bambu, peixeschineses que falam, bizantinices… A partir de uma selec{\cc}{\~a}o de desenho humor{\'i}stico, que neste ensaio se sintetiza, contemplam-se as duas s{\'e}ries d’O Antonio Maria (1879-1885 e 1891-1898), dos Pontos nos ii (1885-1891), d’A Parodia (1900-1902) e da Parodia : Comedia Portugueza (1903-1906). Procurei identificar determinadas personagens, observar que Orientes foram representados e orden{\'a}-los numa geografia nem sempre poss{\'i}vel, pois o exotismo muitas vezes se adensou numa am{\'a}lgama de latitudes e est{\'e}ticas. Uma brev{\'i}ssima nota sobre algumas fantasias orientais na cer{\^a}mica, conclui este artigo. O olhar ocidental e os tra{\cc}os destas fic{\cc}{\~o}es pertencem a Rafael Bordalo Pinheiro (Lisboa, 1846- Lisboa, 1905)1 e Manuel Gustavo Bordalo Pinheiro (Lisboa, 1867- Caldas da Rainha, 1920)2 que garantem as {\'A}sias a rir.",
author = "Sandra Leandro",
note = "info:eu-repo/grantAgreement/FCT/5876/147368/PT# UID/PAM/00417/2013",
year = "2018",
language = "Portuguese",
pages = "1--35",
journal = "Carnet de l'{\'E}cole Doctoral Histoire del'Art et Archeologie",
issn = "2497-594X",
number = "124",

}

TY - JOUR

T1 - Ásias a rir

T2 - o Oriente desenhado pelo humor entre os séculos XIX e XX

AU - Leandro, Sandra

N1 - info:eu-repo/grantAgreement/FCT/5876/147368/PT# UID/PAM/00417/2013

PY - 2018

Y1 - 2018

N2 - Trajes, chás, leques, lanternas, porcelanas, sedas, molduras de bambu, peixeschineses que falam, bizantinices… A partir de uma selecção de desenho humorístico, que neste ensaio se sintetiza, contemplam-se as duas séries d’O Antonio Maria (1879-1885 e 1891-1898), dos Pontos nos ii (1885-1891), d’A Parodia (1900-1902) e da Parodia : Comedia Portugueza (1903-1906). Procurei identificar determinadas personagens, observar que Orientes foram representados e ordená-los numa geografia nem sempre possível, pois o exotismo muitas vezes se adensou numa amálgama de latitudes e estéticas. Uma brevíssima nota sobre algumas fantasias orientais na cerâmica, conclui este artigo. O olhar ocidental e os traços destas ficções pertencem a Rafael Bordalo Pinheiro (Lisboa, 1846- Lisboa, 1905)1 e Manuel Gustavo Bordalo Pinheiro (Lisboa, 1867- Caldas da Rainha, 1920)2 que garantem as Ásias a rir.

AB - Trajes, chás, leques, lanternas, porcelanas, sedas, molduras de bambu, peixeschineses que falam, bizantinices… A partir de uma selecção de desenho humorístico, que neste ensaio se sintetiza, contemplam-se as duas séries d’O Antonio Maria (1879-1885 e 1891-1898), dos Pontos nos ii (1885-1891), d’A Parodia (1900-1902) e da Parodia : Comedia Portugueza (1903-1906). Procurei identificar determinadas personagens, observar que Orientes foram representados e ordená-los numa geografia nem sempre possível, pois o exotismo muitas vezes se adensou numa amálgama de latitudes e estéticas. Uma brevíssima nota sobre algumas fantasias orientais na cerâmica, conclui este artigo. O olhar ocidental e os traços destas ficções pertencem a Rafael Bordalo Pinheiro (Lisboa, 1846- Lisboa, 1905)1 e Manuel Gustavo Bordalo Pinheiro (Lisboa, 1867- Caldas da Rainha, 1920)2 que garantem as Ásias a rir.

M3 - Article

SP - 1

EP - 35

JO - Carnet de l'École Doctoral Histoire del'Art et Archeologie

JF - Carnet de l'École Doctoral Histoire del'Art et Archeologie

SN - 2497-594X

IS - 124

ER -