Vasco Araújo: a teatralização do género e a ambivalência da máscara

Activity: Talk or presentationInvited talk

Description

Conferência de 20minutos. Abstract: A Identidade percorre a história da Cultura Ocidental como num baile de máscaras. Ou, dito de outro modo, o Sentido, sob a forma de uma máscara, é o seu fetiche. Não podemos pensar a Cultura Ocidental sem este ressoar do sentido na identidade, sem o logos como ligação entre o ser, a razão e a palavra. Mas é precisamente aqui, neste ressoar (sono) através de (per), onde a persona surge como raiz comum da pessoa e da personagem, que a Identidade se torna problemática.
Na sua prática artística, Vasco Araújo não raras vezes dramatiza a sobreposição entre o clássico e o contemporâneo, o imóvel e o performativo, o masculino e o feminino, num jogo dialéctico e tensional a partir da qual faz surgir continuamente uma persona diferente. Daí que a presente comunicação se fixe sobretudo em duas problemáticas: primeiro, como conceber a identidade sem pensar, por um lado, na crise do retrato e, por outro, nessa ambivalência que é a da máscara? Segundo, enquadrado na designação de “minoria de género” – o que lhe dá um papel de alteridade num regime de poder e de representação heteronormativos -, como "ter voz" ou uma voz própria, quando o sujeito, na óptica de um sistema binário, é tido como impróprio?
Period24 Oct 2019
Held atCHAM - Centro de Humanidades
Degree of RecognitionNational