Quando escrever é resistir: D. Leonor da Câmara e a causa de D. Maria II

Urbano, P. (Speaker)

Activity: Talk or presentationOral presentation

Description

Em 1833 foram publicados em França e em Portugal vários panfletos, constituídos por cartas de D. Leonor da Câmara (1781-1850), filha dos condes da Ribeira Grande, dirigidas uma ao duque de Bragança, ex-imperador do Brasil e regente de Portugal, e outra para o ministro do Reino. Consistiram na defesa da autora aquando da sua demissão da Casa Real, como preceptora da rainha Maria II. Nestas cartas, D. Leonor reitera o seu constitucionalismo e a dedicação à rainha, reusando as honras com que havia sido agraciada por D. Pedro IV.
Uma das edições portuguesas era acompanhada por um prólogo, ironicamente intitulado “Gratidão e bravura da corte imperial a sua excelência Leonor da Câmara”. Neste, a corte imperial brasileira era acusada de ingratidão, difamação e violência contra Leonor da Câmara. Em contraste, as qualidades desta senhora foram glorificadas: independência, nobreza, modéstia, castidade, lealdade e coragem. O texto também mencionava a oposição do partido brasileiro que outras senhoras teriam de enfrentar, caso fossem nomeadas para o serviço da casa real. Seria esta a única facção opositora a D. Leonor?
O exemplo de D. Leonor da Câmara é paradigmático de como a escrita se assume como uma arma de resistência, fosse para activar redes de sociabilidade e poder, fosse para lhe dar voz no espaço público. O objectivo desta comunicação, por isso, avaliar a acção política desta mulher, durante os cinco anos nos quais foi preceptora de D. Maria II e a sua actuação posterior para reconquistar o agrado régio.
Period20 Oct 2021
Event titleMulheres e resistência(s) no império português: null
Event typeWorkshop
LocationPortugal
Degree of RecognitionInternational

Keywords

  • Women
  • Women History
  • Women Writers
  • Agency
  • Public image
  • Queenship
  • Portugal
  • Brazil
  • Brasil
  • Civil War in Portugal
  • Império português
  • Gender Studies
  • D. Leonor da Câmara
  • Liberalismo