Monumentalidade e Memória no Império Antigo (ca. 2686-2160 a.C.)

Activity: Talk or presentationInvited talk

Description

A memorialização do defunto era uma das funções principais do túmulo no Antigo Egipto: mas de que forma é que o processo de construção e manutenção de memória individual era manifestado através do espaço físico do complexo funerário? Este estudo irá explorar o túmulo do Império Antigo enquanto espaço social, onde a memorialização do defunto, essencial para a sua sobrevivência depois da morte, era construída através da interação dos visitantes do túmulo com a arquitetura e a decoração do mesmo. Utilizando como caso-de-estudo o complexo funerário do funcionário egípcio Akhmerutnisut, cujo túmulo foi construído no planalto de Guiza em meados da V Dinastia (ca. 2448-2414 a.C.), este estudo utiliza pressupostos teóricos antropológicos derivados dos estudos de cultura visual e material de forma a compreender a relação entre o design do túmulo e as pessoas que o visitavam, assim como o papel destas enquanto agentes de memorialização.
PeriodApr 2021
Held atCentro de História (CHUL-FLUL/UL), Portugal
Degree of RecognitionNational