«Belos objectos para alguém rico e nobre»: As porcelanas chinesas do século XVI da Ribeira das Naus - Pátio da Marinha (Santa Maria Maior)

Activity: Talk or presentationOral presentation

Description

Resumo
Em fevereiro de 1995 foram realizadas intervenções arqueológicas decorrentes do desenho de expansão da rede do Metropolitano de Lisboa. O projeto comportou a abertura de um poço de ventilação no pátio do antigo Ministério da Marinha, Avenida da Ribeira das Naus, possibilitando a identificação de distintos momentos de aterro com lata cronologia.
A estratigrafia referente ao período moderno encontra-se associada a campanhas de aterro da transição dos séculos XV e XVI integradas num programa de reformulação da praia do Tejo. A decisão régia pretendia transferir o Paço Real para a margem, local estratégico e readaptado para a nova realidade económica resultante da expansão marítima e do novo ritmo comercial. Este acto traduziu-se num novo desenho urbanístico ribeirinho entre a actual Ribeira das Naus e a porta de Cata-Que-Farás.
São provenientes deste horizonte estratigráfico o conjunto significativo de porcelanas chinesas produzidas entre o fim do século XV e as primeiras décadas de quinhentos. Tratam-se de testemunhos inequívocos dos primeiros contatos com o Extremo Oriente, interação que proporcionou, desde a viagem de regresso da armada de Vasco da Gama a Lisboa em 1499, uma crescente entrada na cidade das produções oleiras daquela geografia. Todavia, paralelamente assistiu-se a um período instável de relações sino-portuguesas, consequenciando na penetração dos portugueses nas rotas comerciais no Indico e, assim, na aquisição de porcelanas chinesas.
O conjunto essencialmente composto por peças de morfologia e decoração tipicamente chinesa inclui, igualmente, grandes pratos covos. Esta leitura sugere contatos mercantis com geografias do sudeste asiático e do golfo pérsico prévios à oficialização das
relações diretas de Portugal com a China autorizados somente em 1557 aquando do estabelecimento dos portugueses em Macau.

Abstract
In february 1995 na archaeological intervention occured in Pátio da Marinha- Ribeira das Naus, due to subway expansion construction works. The project included a ventilation pit in navy yard area, allowing the identification of several landfill moments of broad chronology.
Early Modern stratigraphy includes landfill layers formed in late 15 th and 16 th centuries, because of reformulation of the riverfront area of the town. The king´s decision of transferring the Royal Palace to the shore of the Tagus river means the adaptation of administration to a new economical panorama generated by European Expansion, where maritime commerce played a key-role. A new urban pattern flourished them between Ribeira das Naus and the town wall gate of Cata-Que-Farás.
A significant set of chinese porcelain was collected in the landfill layers, produced between late 15th century and the first decades of the 16th century. The porcelain set is an unequivocal evidence of the first contacts with the Far East, an interaction that provided the arrival of such pottery productions since the return voyage of Vasco da Gama, in 1499.
Period18 Nov 2021
Event titleIII Encontro de Arqueologia de Lisboa
Event typeConference
LocationLisboa, Portugal
Degree of RecognitionLocal

Keywords

  • Arqueologia Moderna
  • Arqueologia urbana
  • Globalização
  • Cerâmicas Asiáticas
  • Redes Comerciais
  • Early Modern Archaeology
  • Urban Archaeology
  • Globalization
  • Far Eastern Ceramics
  • Commercial networks